number of markers : 88
 
Mindelo
AéroportAeroporto Internacional Césaria Évora
Aéroport
• San Pedro Airport (VXE), Aeroporto Internacional de Cesária Évora, São Pedro, Cap-Vert
• Latitude: 16.835642 - Longitude: -25.054012
Media
  • Photo(s): 3
O Aeroporto Internacional Cesária Évora, anteriormente designado Aeroporto de São Pedro, localiza-se junto à aldeia piscatória de São Pedro, no vale do mesmo nome, a cerca de 5 km a sudoeste do centro da cidade do Mindelo. O antigo aeroporto foi construído em 1959-1960 e, em 2005, tiveram início os trabalhos de ampliação da pista e aerogare, de modo a transformá-lo num aeroporto internacional.

As obras ficaram prontas em 2008, mas os voos internacionais só foram inaugurados em 22 de dezembro de 2009. Continuou com o nome de São Pedro até que, em 2012, passou a chamar-se Aeroporto Internacional Cesária Évora. A aerogare antiga é, hoje, ocupada pelo Comando da Guarda Costeira, que foi transferida da cidade da Praia para São Vicente.

MonumentsAntigo Consulado Inglês
Monuments
• Mindelo, Cap-Vert
• Latitude: 16.889200 - Longitude: -24.990288
Pertence ao conjunto dos edifícios mais velhos da cidade, tendo pertencido a John Miller, representante da Companhia Visger & Miller (1853). A casa ficou conhecida como o Consulado Inglês porque John Miller foi Cônsul Inglês por várias vezes 1870-75, 1877-80 e 1885-94 e o consulado funcionava na sua casa. Não se sabe a sua data de construção, mas a primeira vez que foi referenciada num Boletim Oficial foi em 1874, pelo que se especula que seja anterior a 1870.
Foi vendida ao Estado de Cabo Verde depois da independência, e ali foi instalada a Escola de Artesanato, primeiramente denominada de Cooperativa Resistência e depois de Centro Nacional de Artesanato (CNA). Conservou essa função até o Centro ser transferido para o novo edifício na Praça Nova. Nessa altura pretendia-se transformar o edifício numa casa de chá. Posteriormente em 2009, a Câmara Municipal de São Vicente pretendia instalar aí a Cinemateca do Mindelo, onde ficaria exposto todo o espólio do Cinema Éden Park doado pela Sra. Maria Luísa Marques e seria criado também o “núcleo museológico” dedicado ao Porto Grande. Nenhum desses planos saiu do papel.
Recentemente, foi aprovado a transformação do espaço em um hotel, a ser erigido pela empresa Spencer Construções. A nova unidade vai conciliar a beleza singela do edifício colonial com a racionalidade do moderno.
Segundo informações, a construção será constituída por dois conjuntos de edifícios. O primeiro conjunto, constituído por três pisos, vai estabelecer ligação com o edifício onde funciona a Agência Marítima e Portuária, numa arquitetura de forma curva. O segundo conjunto, formado por três edifícios, faz alusão à simplicidade da arquitetura inglesa, mas não tem a pretensão de ser uma reprodução do estilo colonial. Tem cobertura em telhado, jardim frontal, planta retangular desenvolvida em dois pisos com uma distribuição simples, fachada simétrica, janelas e portas com arcos e sacadas com consola.
 

RestaurantsArchote
Restaurants
• Alto Sao Nicolau, Mindelo, Cape Verde
• Latitude: 16.889450 - Longitude: -24.990978
Situado em Alto de S. Nicolau, oferece pratos regional e nacional, com especialidades de peixes e mariscos. Aberto todos os dias, com música tradicional ao vivo às terças, sextas e sábados. Tem, ainda, à disposição um serviço de catering (Coffee breaks, cocktails, banquetes, casamentos), no restaurante ou noutros espaços, à escolha dos clientes.

QuartiersAvenida 5 de Julho
Quartiers
• Ave 5 de Julho, Mindelo, Cap-Vert
• Latitude: 16.889738 - Longitude: -24.987989
Denominada, inicialmente, por Rua Infante Dom Henrique, a Avenida 5 de Julho era, popularmente, conhecida por Rua do Telégrafo. O nome atual foi atribuído após a independência de Cabo Verde, em homenagem a essa data. Foi totalmente calcetada depois de se concluir a Praça Nova, em 1894. O lado esquerdo da rua era constituído, maioritariamente, por um muro, para demarcar as fronteiras do quintal do Norte da Companhia Millers & Cory, desde os armazéns ao lado da alfândega até à casa do Dr. Fonseca, na Praça Nova. O muro foi dando lugar a ruas e novas construções, até ser demolido na década de setenta do século passado, ficando, apenas, o espaço onde se veio a construir o MindelHotel. Do outro lado da rua, as casas e edifícios pertenciam, na sua maioria, às companhias inglesas de São Vicente.
 
Edifícios da Avenida 5 de Julho:
 
Pensão e Restaurante “Chave de Ouro” - edifício construído em 1905-1907 pelos comerciantes italianos Bonucci e Frusoni, que compraram tudo o que existia no lote, demolindo-os e construindo o presente edifício, para o funcionamento do Hotel Central, no primeiro andar e, estabelecimento comercial denominado, Loja Central, no rés-do-chão. Os edifícios existentes, anteriormente, foram construídos em 1858 e, pertenciam ao Sr. António Joaquim Martins, que era um dos grandes homens da ilha.
A Pensão “Chave de Ouro” teve como fundador, o Sr. Miguel Costa. Numa parte do rés-do-chão funciona o Bar Argentina e, noutra, a firma Drogaria do Leão - Nunes Leão & Companhia Lda;
 
TACV (Transportes Aéreos de Cabo Verde) – o edifício foi construído, entre 1938 e 1949, como sede dos Correios e Telégrafo. O edifício anterior, existente nesse lugar, foi construído antes de 1858 e, pertencia aos herdeiros de George Ketting Rendall que foi expropriado em 1933, tendo sido demolido em 1938, para se construir o novo edifício da sede dos Correios e Telégrafo. Este demorou muitos anos a ser construído, por causa de vários constrangimentos, tendo ficado concluído em 1949. Os TACV que funcionavam, anteriormente, num outro edifício, nessa mesma Avenida, passaram a funcionar no atual edifício, a partir dos anos noventa até março de 2018, data em que a Delegação Regional Norte foi encerrada;
 
Ex-Conservatória dos Registos da Região de Barlavento - O edifício pertencia ao Sr. Manuel Gomes Madeira, que o vendeu em 1899 à Companhia Carvoeira Wilson, Sons & Ca. (estabelecida na cidade desde 1885). O edifício, de apenas dois pisos, passou a funcionar como escritório e moradia do Diretor da Companhia, sendo o terceiro piso construído, anos depois. Na década de vinte do século passado foi feita uma grande ampliação no edifício, tendo-se sido acrescentado a parte traseira.
A Administração Civil funcionou, durante algum tempo, no rés-do-chão, com a residência do Administrador nos andares de cima. Depois da independência foi ocupado pela Conservatória até esta se mudar para o novo edifício do Palácio da Justiça, em 2008. O edifício está fechado, tendo este património sido transferido para o domínio municipal, no ano de 2017;
 
O antigo Lombo MacLeod era constituído pelo quarteirão, delimitado pela Avenida 5 de Julho, Rua Unidade Africana, Rua Senador Vera Cruz e Travessa Cadamosto. Em 1860, todo esse terreno foi concedido à Companhia Inglesa MacLeod & Martin, estabelecida na cidade em 1858, para a construção da sua sede, armazéns e casas, estas para os trabalhadores. Em 1870, passou à Companhia Millers & Nephew, que adquiriu a referida Companhia MacLeod & Martin. O largo era constituído pelas moradias que se encontram na Avenida 5 de Julho e, tinha no meio, o Canal Gelado, entre as Casas Gémeas e a atual casa dos Vasconcelos (Fragata). Esse canal dava acesso à parte traseira de todos os edifícios da Rua Senador Vera Cruz, onde existiam 53 casas para os funcionários e as cavalariças. Esse quarteirão passou a pertencer ao Sr. António Miguel de Carvalho e Companhia Ltd., que construiu os prédios, hoje existentes, na Rua Senador Vera Cruz;
 
Casa do Sr. Alberto Pancrácio Lopes - única casa de traçado moderno da rua e, fica situada na esquina formada pela Avenida 5 de Julho e a Rua Unidade Africana.  Funciona neste espaço, Foto Express e um Cyber;
 
Casa Vasconcelos - já existia em 1891 como moradia, sendo que, no Cadastro da Miller, em 1923, é descrita “como uma casa de andar nobre”. Pertence a família Vasconcelos Lopes, desde 1981, que fizeram moradia, no primeiro andar e, espaço comercial e armazém, no rés-do-chão, disposição que continua até hoje. Em 2010-2012, o rés-do-chão foi totalmente transformado, passando a funcionar o supermercado Fragata e, o Canal Gelado foi definitivamente fechado, passando a fazer parte integrante do edifício;
 
Casas Gémeas -  de acordo com o Cadastro da Miller, feito em 1923, essas casas já existiam em 1887, com a arquitetura que apresentam hoje.
A primeira é propriedade do Instituto Nacional da Previdência Social.  No rés-do-chão, onde funcionava, anteriormente, o Consulado de Portugal, estão atualmente os escritórios da Firma Vasconcelos Lopes, Lda. No primeiro andar, está a funcionar o Centro Cultural Português/Instituto Camões desde 1995.
A segunda casa pertence a particulares, sendo que no rés-do-chão funciona um estabelecimento comercial e no primeiro andar, como moradia dos respetivos particulares.
Antiga Capela Anglicana – foi construída nos finais do século XIX, ao mesmo tempo que as outras construções antigas do quarteirão. Naquele tempo, em Cabo Verde, apenas havia Igrejas Católicas e, como as Companhias traziam trabalhadores ingleses, na sua maioria, anglicanos, tiveram que lhes proporcionar um lugar de culto. É dessa forma que o povo da ilha tem o primeiro contacto com essa religião. Hoje, a Capela encontra- se pouco visível, ao lado de um edifício moderno, onde funcionam um espaço comercial e um restaurante.
 
Casa do Sr. Celso Leão - construída em 1870, era propriedade do Sr. Chuva que era Tesoureiro da Alfândega, tendo sido comprada pelo Sr. Celso Leão, português fundador da “Casa do Leão” que, adquiriu mais uma pequena casa que ficava nas traseiras desta, tendo-as transformado numa só, mantendo a parte da frente igual à construção original;
Telégrafo (quarteirão) - atual CVTelecom (já descrito);
MindelHotel - edifício relativamente novo, construído nos anos noventa do século XX, onde era antigamente os depósitos de carvão da Miller & Cory. Foi construído pelo investidor italiano, Andrea Stefanina, tendo sido vendido há alguns anos, a um empresário cabo-verdiano;
• A seguir ao MindelHotel encontra-se um conjunto de prédios construídos nos anos setenta, após a demolição dos muros dos depósitos de carvão da Millers & Cory, de entre os quais, Apart Hotel Avenida, Caixa Económica, Garantia (empresa de seguros) e vários estabelecimentos comerciais.
• A rua termina na parte traseira do Clube Náutico do Mindelo, dos antigos armazéns da Alfândega, construídos em 1875 e da Alfândega Velha, atual Centro Cultural do Mindelo.

QuartiersAvenida Marginal
Quartiers
• Ave Marginal, Mindelo, Cap-Vert
• Latitude: 16.888237 - Longitude: -24.989586
Media
  • Photo(s): 3
Antes da construção do cais acostável, existia uma pequena estrada que levava à zona chamada Pontinha (extremidade da baía, mesmo por baixo do Fortim d’El Rey), onde a companhia Visger & Miller tinha as suas instalações e, extraiam lastro para os navios à vela que transportavam carvão e havia uma ponte que foi demolida em 1897.

Em 1909, foi concluído o plano inclinado da Pontinha, que servia a Oficina do Estado para a alagem dos navios, para reparação.
Em 1932, deu-se início à construção da estrada marginal da antiga Pontinha, tendo-lhe sido atribuído o nome de Avenida João Belo.

A obra na Marginal foi feita, mas a ligação à cidade não ficou concluída, decidindo-se depois, que seria mais fácil fazer uma ligação única, demolindo as construções que estavam à frente da Alfândega e dos armazéns. Assim se fez a Marginal, que veio encurtar o caminho até à Matiota e facilitar as construções hoje existentes, principalmente a do Cais Acostável do Porto Grande. Já nesse mesmo ano, as Companhias Cory Brother’s & Cª Lda. e SHELL, prevendo a decadência da era do Carvão, resolveram construir depósitos de combustíveis, para o abastecimento à navegação. 

A Avenida Marginal com maior dimensão, plantas e duas faixas de rodagem, foi feita entre 1961- 1974 e, as construções que se encontram nessa avenida foram, assim, sendo feitas:
•  Alfândega Velha (1858-1861) – atual Centro Cultural do Mindelo;
•  Armazéns da Alfândega Velha – atual Clube Náutico do Mindelo - edifício construído em 1875, que continua igual aquando foi feito. A Alfândega foi-se tornando pequena para as necessidades do crescente tráfego de mercadorias e, por isso, foi necessário construir armazéns maiores ao lado, que passaram a integrar o edifício antigo, como um todo. Em 1984, o Estado de Cabo Verde concedeu a parte dos armazéns ao Clube Náutico do Mindelo que, a partir de então, passou a promover os desportos náuticos na cidade. O clube entrou em declínio e passou a funcionar como Bar e espaço de prática de aulas de ginástica e Capoeira.
•  Praça “Nhô Roque”, António Aurélio Gonçalves – atualmente foi reabilitada pela Câmara Municipal, tendo sido construído um parque infantil, muito frequentado por crianças e pais;
•  Ex-Consulado Inglês - construído em 1853 e demolido em 2017, para se contruir um hotel.
•  Capitania dos Portos/Comando Naval/ RTC/Ministério de Economia Marítima – edifício construído entre 1959-1967, já descrito;
•  Oficinas do Estado – atual Polícia Judiciária, Departamento do Mindelo - O espaço que se denominava Pontinha foi adquirido pelo Governo da Província à Companhia Visger & Miller. Em 1897, começava a construção da Oficina para a reparação dos navios adquiridos pela Província, para a fiscalização sanitária do Porto Grande, servindo também, para formar carpinteiros e serralheiros. Em 1900 foi ampliado e, em 1906, foi oficializada a escola para operários serralheiros. Com a criação do Liceu em 1917, a escola foi extinta, oficialmente, mas ainda continuou a funcionar. Em 1923 passou do Estado para particulares, tendo regressado novamente à posse do Estado em 1943, sob a alçada das obras públicas. Em 1937, todo o seu espólio passou para a nova “Escola Profissional de Artes e Ofícios da Colónia de Cabo Verde”, que se manteve aberta até 1964, ano em que se tornou armazém da Capitania. Atualmente, funciona como armazém da Policia Judiciária que, desde 2010, passou a ocupar o segundo edifício da Capitania, onde funcionava a Direcção-Geral da Marinha e Portos;    
•   Escritórios e Instalações da Vivo Energy Cabo Verde (ex-Shell) - Instalações feitas no local onde, antigamente, existiam depósitos de combustíveis feitos, logo após, a construção da Avenida. As instalações/escritórios da Shell foram feitas depois de se assinar um contrato de concessão, em 1968, para o abastecimento de combustível entre o Estado e a Shell Portuguesa, que já marcava presença em São Vicente, desde 1920. Depois da Independência, passou a ser Shell Cabo Verde e, em 2011, a empresa foi comprada pela VIVO Company;
•  MOAVE - A Moagem de Cabo Verde S.A - foi criada a 17 de julho de 1972, reunindo 18 sócios fundadores, na sua maioria, antigos importadores de farinha de trigo. As obras de construção começaram em janeiro de 1974 e, o seu funcionamento aconteceu a 20 de setembro de 1975. Em 1978, o Estado de Cabo Verde foi admitido como acionista, com uma participação de 51% do capital social. Em 1995, inicia-se o processo de alienação da participação do Estado que fica concluído em 1998, passando todo o capital social para privados nacionais. Com a privatização, a Moave perde o monopólio de importação da farinha, trigo, milho e arroz e, todos os estabelecimentos passaram a importar e a comercializar esses produtos; 
•  Cais Acostável do Porto Grande , já descrito;
•  Marina da Associação Sport Fishing do Mindelo - aceita apenas embarcações que sejam membros/sócios da Associação Sport Fishing Club do Mindelo, sem fins lucrativos, cujo objetivo é incentivar a prática de desportos náuticos, nomeadamente, pesca desportiva, motonáutica, caça submarina e, realização de eventos desportivos náuticos, vela e demais atividades conexas, escola de mergulho. Colabora, ainda, com as instituições ligadas ao turismo, para promover este setor. Possui instalações próprias, feitas em 2012-2013, com bar e restaurante;
•  Marina do Mindelo - foi constituída em setembro de 2005 pelos investidores alemães, Lutz Meyer-Scheel e Kai Brossmann, que possuem uma longa experiência em diversas áreas dos desportos aquáticos e em turismo. Em 2003, já tinham construído uma primeira pequena Marina, para 15 iates, que se situava diretamente no Caís de passageiros do Porto Grande. O projeto da Marina Mindelo foi financiado, para além dos próprios proprietários, por outros investidores, australianos e alemães.

Espaces NaturelsBaía das Gatas (Mérite le détour)
Espaces Naturels
• Mindelo, Cap-Vert
• Latitude: 16.903852 - Longitude: -24.908480
Media
  • Photo(s): 4
Perto da aldeia de Salamansa, situa-se a famosa Baía das Gatas, nome de uma bela baía natural, uma pequena localidade que fica a menos de 10 km a leste da cidade do Mindelo. O nome desta baía deriva da abundância, outrora nas suas águas de uma espécie de tubarão denominado “tubarão-gata”. Trata-se de uma enorme piscina natural, já que a saída para o mar está cercada por rochas que fazem uma barreira, tornando-a muito segura para os banhistas e principalmente crianças.
Não há serviço permanente de transportes públicos, mas nos fins-de-semana existe, normalmente, ligação com o Mindelo, seja em autocarros ou em carrinhas, mas as agencias locais efetuam excursões previamente programadas. É visível um desenvolvimento em termos urbanísticos nos últimos anos, com a construção de vários casas, pousadas e restaurantes que servem aos residentes e visitantes.
A Baía das Gatas empresta a sua localidade e nome ao famoso festival internacional de música, realizado, anualmente, no mês de Agosto, com artistas nacionais e internacionais, com muita animação, que atrai pessoas das outras ilhas e do estrangeiro, especialmente emigrantes.

Espaces NaturelsBaía do Mindelo - Baía do Porto Grande (Mérite le détour)
Espaces Naturels
• Mindelo, Cap-Vert
• Latitude: 16.886072 - Longitude: -25.005554
Media
  • Photo(s): 2
label Mais Belas Baías do Mundo
As excelentes condições naturais desta baía fizeram com que fosse considerada, no passado, um dos portos de águas profundas mais seguros do mundo, tendo, graças à sua localização estratégica no oceano Atlântico, chegado a ser um dos três portos mais movimentados do planeta, no século XIX.
Recentemente, a baía foi eleita como umas das Baías Mais Belas do Mundo, ao entrar para o exclusivo Clube das 27 Baías mais Bonitas do Mundo.
O Porto Grande continua a ser o maior e melhor porto de Cabo Verde, mantendo a sua tradição de servir a marinha internacional e, afirmando-se, cada vez mais, como um importante porto de escala de navios de cruzeiros do Atlântico médio, que serve, também, as frotas pesqueiras internacionais, que vêm fazer o transbordo das suas capturas, abastecimento e recrutamento de tripulação.

RestaurantsBar Estrela
Restaurants
• Mindelo, Cape Verde
• Latitude: 16.886061 - Longitude: -24.987020
Comida caseira, de qualidade, feita com excelentes produtos, servidos com a gentileza e a simpatia da proprietária e a sua equipa, a merecer paragem obrigatória, para conhecer os pratos de peixe, de carne e as sobremesas. A localização é excelente, próxima do Palácio do Povo, no centro da cidade, com instalações simples, mas agradáveis, num ambiente familiar onde se experimenta um dos melhores bifes caseiro de Mindelo. Os pastéis de atum são divinos.

MonumentsBiblioteca Municipal / Aliance Française do Mindelo (Mérite le détour)
Monuments
• Mindelo, Cap-Vert
• Latitude: 16.886629 - Longitude: -24.988903
Media
  • Photo(s): 2
Os edifícios da Biblioteca Municipal e da Aliance Française do Mindelo ocupam o terreno onde outrora existia uma única casa e pertencia ao primeiro presidente da Comissão Municipal do Mindelo, mesmo antes da criação da Câmara Municipal.
Construída em torno do que era então a praça central, a Praça Dom Luiz, a casa era cercada por árvores e pátios. Em 1860 foi adquirida pelo governo, para abrigar a Administração do Concelho, a Repartição da Fazenda, os Correios, a Capitania dos Portos e a Delegação da Junta de Saúde em diferentes anos. O edifício foi comprado pela Companhia de São Vicente Cabo Verde (companhia de carvão), que fez grandes obras de renovação e aí instalou os seus escritórios. Após a independência tornou-se sede do partido PAIGC e instalou-se aí também os escritórios da Juventude Africana Amílcar Cabral.
Os edifícios são ocupados pela Biblioteca Municipal, e pela Alliance Française do Mindelo onde também já funcionou o Consulado Francês que abriu o seu primeiro Centro de Cabo Verde em São Vicente em 1977 (o Centro Cultural Francês de Cabo Verde).

MonumentsBusto do Dr. Adriano Duarte Silva (Mérite le détour)
Monuments
• Mindelo, Cap-Vert
• Latitude: 16.886454 - Longitude: -24.986732
O busto do Dr. Adriano Duarte Silva foi feito em 1964 pelo escultor Martins Correia. O Dr. Adriano Silva nasceu a 12 de Janeiro de 1898 em Mindelo, e morreu a 12 de Julho de 1961, na mesma cidade. Advogado, professor do Liceu, político e deputado da nação, frequentou a faculdade de Direito e Letras da Universidade de Coimbra, em 1913, com apenas 15 anos, e formou-se em Direito e Ciências Sociais, em 1918, na Universidade de Lisboa, com apenas 20 anos.

Trabalhou em Lisboa e Angola, onde a sua carreira judicial prometia ser de grande sucesso, mas preferiu voltar e viver na sua terra natal e exercer advocacia. Homem de coração, bom atendia a todos os necessitados, tendo eles dinheiro ou não para pagar os seus serviços. Em 1922, tornou-se professor no Liceu Infante Dom Henrique do Mindelo e foi Reitor de 1924, a 1933.

Entretanto o Liceu fechou por ordem de Armindo Monteiro, Ministro das Colónias e reabriu no mesmo ano (com a força da luta dos populares), mas com o nome de Liceu Gil Eanes.

Exerceu também outros cargos ao longo da vida, designadamente, Cônsul Honorário do Brasil e da Espanha, Agente Consular da França, Juiz de Direito da Comarca de São Vicente e Presidente da Comissão Provincial da União Nacional.

Foi deputado por 16 anos, e uma das suas grandes conquistas foi ter convencido o governo a construir o Cais Acostável da Baía do Porto Grande, inaugurado a 3 de Maio de 1961. Foi condecorado pelo Presidente Carmona com o grau de Comendador da Ordem Militar de Cristo e, em 1946, recebeu a Cruz de Carvalho da Legião de Honra, pela República Francesa.

O busto foi colocado na Praça a 1 de Dezembro de 1964, mas foi retirado em 1975 aquando da Independência, tendo retornado anos depois com a remodelação da Praça do Liceu Gil Eanes em 1988-1989.

Bars - Glaciers - Salons de théCafé Royal Suites
Bars - Glaciers - Salons de thé
• 2110, Rua de Libertad d'Africa, Mindelo, Cape Verde
• Latitude: 16.886639 - Longitude: -24.988224
Emblemático edifício da época colonial, recentemente reconstruído, visando dotá-lo de maiores comodidades, mas respeitando o traçado original, encerra um importante período da história da ilha de São Vicente. Situado no centro da rua de Lisboa, este edifico é uma referência da história da ilha, pois foi um espaço onde sempre se ouviu e produziu música ao mais alto nível, com Tututa Évora, Cesária Évora, Luís Morais e tantos outros. Está, também, umbilicalmente ligado ao “Tchuna”, Daniel José Almeida, proprietário do espaço de 1975 até 2003, altura em que foi encerrado e, posteriormente, demolido e reconstruído.

Funciona como um bar e também como um espaço cultural, um local de música. Mas, mais do que um bar, o Café Royal transformou-se num ponto turístico do Mindelo, onde é possível saborear uma boa cachupa guisada, entre outros pratos, colocados à disposição dos clientes. É um dos locais de encontro dos mindelenses.

Cale de halageCais acostável do Porto Grande
Cale de halage
• Mindelo, Cap-Vert
• Latitude: 16.887777 - Longitude: -24.993216
Media
  • Photo(s): 1
 
A sua construção começou em 1960, após muita insistência do deputado de origem cabo-verdiana, Dr. Adriano Duarte Silva, que defendeu, durante anos, a construção do porto junto das autoridades portuguesas.
O porto foi inaugurado a 3 de maio de 1961 e modernizado em 1997, com a construção do parque de contentores e o terminal de cabotagem e melhoria do cais de pesca.
Constituído por três molhes em forma de “F” unidos pelo cais de acesso, possui um cais de pesca e cinco armazéns de mercadorias cobertos. Mantem o “focus” em três áreas de negócios, designadamente, Turismo de Cruzeiros, Transbordo de Contentores e o Tráfego Internacional de Navios de Pesca. O Terminal de Cabotagem construído em 1997, veio aliviar o tráfico no cais, sendo utilizado para passageiros e cargas do tráfico nacional. Foi feita também uma Gare Marítima com bar, cafetaria, sala de espera e de atendimento, parque de estacionamento e um terraço panorâmico, que permite uma visão agradável da baía e da cidade.

MairieCâmara Municipal de São Vicente
Mairie
• Mindelo, Cap-Vert
• Latitude: 16.885916 - Longitude: -24.987957
Media
  • Photo(s): 1
A construção do edificio teve o seu início em 1862 e ficou concluída em 1873, por motivos financeiros. Nessa altura, possuía apenas a parte de frente. A parte traseira, inicialmente, de um piso foi transformada num edifício de quatro pisos (cave, rés-do-chão, 1º e 2º andares).
O edifício preserva seu aspeto construtivo e estético com as caraterísticas típicas da arquitetura colonial da época, como as janelas em arco com as folhas de abrir para dentro, o número ímpar de aberturas na fachada e os cunhais no canto das paredes. Nos primeiros tempos funcionava no edifício, a Câmara Municipal, o Tribunal Judicial, a Cadeia Civil e Escolas de Instrução Primária. Atualmente, funciona no edifício, apenas, a Câmara Municipal com os seus serviços públicos

Tel:  (+238) 2325210
Site web:  http://https://www.cmsv.cv/index.php
MonumentsCapitania dos Portos / Comando Naval
Monuments
• Mindelo, Cap-Vert
• Latitude: 16.889225 - Longitude: -24.991037
Media
  • Photo(s): 2
Situado na Avenida Marginal, o edifício foi construído entre 1961‐1967 e é atribuído ao arquiteto Lucínio Cruz. O edifício da Capitania, como era chamado, foi um dos primeiros a serem feitos na ilha no novo estilo de construção da arquitetura moderna, o modelo do bloco isolado, assente sobre pilotis (estrutura assente em pilares). Feito com uma suave curvatura para acompanhar a forma da marginal e com quatro pisos, este edifício era um orgulho tanto para o Governo como para o Comando Naval. Depois da independência passou a funcionar no edifício, também, a Delegação Escolar e a Rádio (hoje RTC), e mais tarde a Agência Marítima e Portuária.
Já foi alvo de remodelações, mas não sofreu nenhuma transformação significativa na sua arquitetura. No edifício atualmente alberga os serviços da Capitania dos Portos, a RTC e o Ministério da Economia Marítima, e o edifício menor a Policia Judiciaria- Inspeção de São Vicente.
 

RestaurantsCaravela Mindelo
Restaurants
• Ave Marginal, Mindelo, Cape Verde
• Latitude: 16.895414 - Longitude: -24.991949
Este bar/discoteca está situado na Praia da Laginha e acolhe centenas de pessoas ao longo do dia, tendo sempre casa cheia. Tem uma esplanada virada para o mar, com uma vista privilegiada da praia e da vizinha ilha de Santo Antão, conforme o estado do tempo.

Aos fins de semana, são frequentes os concertos de música ao vivo e, no verão, eventos de moda, DJ's, projeção de jogos ao vivo e eventos gastronómicos. 
 
Pratos simples de peixe são a especialidade deste restaurante de praia, mas há uma ementa flexível e variada, podendo, também, apreciar uma moreia frita.

ÉvénementsCarnaval – Rua de Lisboa (Mérite le détour)
Événements
• Rua de Libertad d'Africa, Mindelo, Cap-Vert
• Latitude: 16.886642 - Longitude: -24.988003
Media
  • Photo(s): 4
O Carnaval é, sem sombra de dúvida, das manifestações de natureza cultural, que envolve um grande número de pessoas em S. Vicente.

Mobiliza, de uma maneira geral, todos os artistas plásticos populares e as mais prendadas costureiras da ilha, sendo a confeção dos trajes toda nacional.

A alegria e o modo de viver dos sanvicentinos transformaram o Carnaval na maior manifestação cénica de rua. Ao lado dos grandes carros alegóricos, produtos de uma imaginação provida de sonhos, as pessoas desfilam em grupos ou individualmente, a que o povo chama de «espontâneos» ou de «grupos de animação». No Mindelo, o sonho transforma-se em fantasia, para marcar o compasso em ritmo do samba, batucada ou marcha, num louvor à beleza, agitando o sossego, numa época em que quase tudo é permitido, desde que seja folia e animação.

A competição entre os grupos é cerrada e existem prémios para todos e para as figuras de destaque, com melhor classificação. É uma tradição secular, existindo, inclusive, uma música com o título “Brasilin”, que retrata a vivência e realidade da ilha, comparando-a com a do Brasil, que foi imortalizada na voz insubstituível de Cesária Évora.
 
O Carnaval dura durante mais de um mês, começando com os desfiles dos “Mandingas”, todos os domingos. A tradição dos Mandingas é antiga em São Vicente e constitui uma das mais populares figuras do Carnaval. São grupos de pessoas que se pintam de preto, vestem saiotes de corda de sisal e empunham lanças, imitando a indumentária e as danças de povos autóctones da costa ocidental africana.

Segundo o investigador Moacyr Rodrigues, pertencem a etnia Fula da Guiné-Bissau, que terão visitado o Mindelo nos anos 40 do século passado, quando iam a caminho de Lisboa, para participarem na Exposição do Mundo Português.

Ainda, de acordo com o mesmo, esse grupo de bailarinos guineenses terão feito uma exibição da sua dança, em Mindelo, e a partir dessa altura passaram a ser imitados pela população, por altura do Carnaval, principalmente, pelos trabalhadores das empresas carvoeiras, que utilizavam restos de carvão para se pintarem. Atualmente, a tradição ganhou uma grande dimensão, mobilizando pessoas a integrar os grupos de mandigas, cujos desfiles arrastam multidão.

A festa encerra-se no domingo, a seguir ao dia do Carnaval, com o desfile final dos “Mandingas”, chamado “Enterro de Carnaval”, que percorre várias artérias da cidade e termina na praia da Avenida Marginal, onde o “caixão” é colocado no mar e o povo se despede do evento, até o ano seguinte.

MonumentsCasa Dr. Adriano Duarte Dilva - Delegacia de Saúde
Monuments
• Mindelo, Cap-Vert
• Latitude: 16.886087 - Longitude: -24.985212
Media
  • Photo(s): 1
Era uma das casas particulares mais antigas da cidade, construída em 1870 pelo Dr. Salles e Celarine (Médico, Físico e Delegado de Saúde) que foi o primeiro Diretor do Hospital Militar/Civil do Mindelo. Passou a ser propriedade do Dr. Roberto Duarte Silva (Jurista, Advogado e Juiz), nos finais daquele século, que também já possuía terrenos naquela área. Foi remodelada depois de alguns anos e, passou a ser a moradia do seu filho Dr. Adriano Duarte Silva (Advogado e Deputado de Cabo Verde).
Na década de trinta do século passado, o edifício sofreu ampliações do lado norte e, foi feita a escadaria para o ligar à travessa.

Nos anos sessenta, com a morte do Dr. Adriano Silva, a casa foi arrendada e, uma parte passou a ser o consultório do Dr. Fonseca (Médico e Cirurgião) até a sua morte, tendo lá residido outros médicos, Dr. Sarmento Silva e Dr. Alexandre Silva, sendo por isso, conhecida como a casa dos Doutores. A zona circundante com casas modestas passou a chamar de Fonte d’Doutor e, a zona a seguir, Alto de Celarine, em homenagem ao primeiro dono da casa.

O valor da casa do Dr. Adriano Duarte Silva estava intimamente associado a uma carga histórica, pelo papel desempenhado por este cidadão na história recente de Cabo Verde. Pela idade que a casa tinha (mais de 100 anos) e pela sua história de homens “grandes” de São Vicente que passaram por ela, há quem defende que deveria ter sido considerada um Património Histórico e Cultural, mas tal não foi entendido, tendo assim sido demolida, em 2010, para se construir a nova Delegacia de Saúde. Esta, de estilo moderno, com quatro pisos centralizados por um pátio e jardim, foi inaugurada a 24 de julho de 2013, pelo então Primeiro-ministro José Maria Neves.

MonumentsCasas de Telégrafo no Alto Miramar
Monuments
• Ave Baltazar Lopes da Silva, Mindelo, Cap-Vert
• Latitude: 16.889736 - Longitude: -24.985483
Construídas com a mesma arquitetura do “New Building” onde funciona a CV Telecom, estas casas já existiam em 1910 e funcionavam como moradias. Estiveram abandonadas durante muito tempo e pertencem ao Estado de Cabo Verde, que ficou com o espólio da Companhia de Carvão. Nos finais dos anos noventa, a casa da direita foi ocupada pelo ISCEE (Instituto Superior de Ciências Económicas e Empresariais), a título de concessão, que expandiu as instalações com a construção de um edifício moderno, nas traseiras, onde funcionam salas de aula. A casa da esquerda é ocupada pela Fundação Baltasar Lopes da Silva.

MuséesCentro Cultural do Mindelo (A voir absolument)
Musées
Atrativos culturais imateriais
• Ave 5 de Julho, Mindelo, Cap-Vert
• Latitude: 16.887062 - Longitude: -24.988661
Media
  • Photo(s): 1
São Vicente foi considerado, desde sempre, como a capital cultural de Cabo Verde.

Com efeito, tem sido o expoente máximo de Cabo Verde nos mais variados domínios culturais, da música à literatura, passando pelo teatro e pela pintura, até às manifestações populares mais genuínas como as festas de romaria com a famosa dança do Colá San Jon e o Carnaval, a maior festa popular do país.

Citam-se, entre outras, a criação da Biblioteca Municipal e da Escola Municipal de Música, a reconstrução do Mercado Municipal, a remodelação da Praça Estrela, a recuperação das instalações do Madeiral, a realização anual do Festival da Baía das Gatas e outros festivais de música e de teatro, a atribuição de distinções às mais importantes figuras culturais da ilha e a construção de diversos jardins e pracetas.

Salienta-se a existência do Centro Cultural do Mindelo, que é já uma realidade. Regista-se, também, o surgimento de várias galerias de arte e ateliers, onde os artistas da ilha produzem, expõem e vendem os seus trabalhos, para além de muitos deles ensinarem jovens aprendizes, dando origem a novos ateliers e iniciativas. São os casos dos vários ateliers e galerias de pintura, como o Atelier Bela, de Bela Duarte, Atelier Ti Djô, de Tchalé Figueira, Zeropoint Art, de Alexandre Silva Andrade e o Atelier de Manuel Figueira e Luísa Queirós; de cerâmica, como o Atelier Mar; de escultura, como Atelier InterArte; de produção de instrumentos musicais, como a Oficina Baptista e Filhos Lda, ou o Atelier Violão de Anacleto Gomes.

Em Assembleia Geral da UCCLA a cidade do Mindelo foi designada « Capital Lusofona da Cultura 2002/2003 », oferecendo aos visitantes uma vida cosmopolita baseada, essencialmente, em acontecimentos culturais ao longo do ano, que constitui um roteiro turístico genuíno e pronto a ser explorado - manifestações culturais, como a Passagem de Ano, o Carnaval, Março Mês do Teatro, as festas de romaria como Santa Cruz, Santo António, São João e São Pedro, o Festival Internacional de Música da Baía das Gatas, o Festival de Música da Lajinha, o Kriol Summer Jazz Festival e, ainda, o Festival Internacional de Teatro Mindelact, são produtos turísticos por excelência. Convém referir a capacidade invulgar que a ilha tem de criar eventos com a pronta participação massiva da população.

MonumentsCentro Cultural do Mindelo (Mérite le détour)
Monuments
• Mindelo, Cap-Vert
• Latitude: 16.886951 - Longitude: -24.988689
Media
  • Photo(s): 1
Projetado e dirigido pelo Capitão de Estado Maior do Exercito Januário Corrêa de Almeida, também Engenheiro Civil, o edifício onde funciona o Centro Cultural do Mindelo foi construído em 1858-1861 e ampliado em 1880-1882. Faz parte do grupo dos edifícios mais antigos da cidade, tendo aí funcionado a antiga Alfândega. Trata-se de uma construção térrea, erigida sobre a baía. Apresenta um corpo central rematado por frontão, que exibe um delicado desenho arquitetural, com uso de pedra branca e molduras de vãos de estilo clássicos.
Com a necessidade de organizar os serviços aduaneiros em 1851, quando começaram a chegar os navios a vapor da Companhia Royal Mail, a Alfândega foi elevada a categoria de Maior ou de Primeira Ordem. Com isso, houve a necessidade de construir o edifício e o cais. O primeiro edifício feito de início a título provisório, deu lugar ao edifício hoje existente, que era mais conveniente aos progressos das ilhas de S. Vicente e de Santo Antão.
No mesmo ano que Mindelo ascendia à categoria de Vila (1858) começavam as obras da Alfândega, a primeira obra da Vila do Mindelo. Funcionou como Alfândega até 1976, passando depois a albergar durante algum tempo o Instituto dos Seguros e o Notariado e em 1983 passou a Museu Etnológico.
Foi restaurado em 1997 e hoje alberga a Delegação do Ministério da Cultura, possuindo uma sala de teatro onde todos os anos, em setembro, se assiste ao Festival de Teatro Internacional Mindelact, o março Mês de Teatro e outras atividades de música e dança ao longo do ano.
Existem também, salas de exposição onde já passaram diversos artistas nacionais e internacionais. A exibição de filmes e lançamentos de livros também se encontram na programação do centro.
Foi restaurado, novamente, em 2011 pelo Ministério da Cultura.

MuséesCentro Nacional de Artesanato e Design (Mérite le détour)
Musées
• Mindelo, Cap-Vert
• Latitude: 16.890263 - Longitude: -24.987755
Media
  • Photo(s): 5
O edifício onde hoje funciona o Centro Nacional de Artesanato e Design possui uma história grandiosa.
Foi mandado construir, por volta de 1890, pelo senador Augusto Vera-Cruz, um homem abastado, um benfeitor e altruísta, proveniente da ilha do Sal, mas que vivia em São Vicente.

Antes da sua morte, cedeu o edifício para que se abrisse o primeiro liceu da ilha, mas com o aumento da população, o edifício tornou-se pequeno e o liceu teve se ser transferido para outro local da cidade.

Mais tarde dá lugar ao Clube Recreativo da alta sociedade mindelense e passou a chamar-se Grémio do Mindelo que o cede durante a 2ª Guerra Mundial para ser um dos quartéis militares da ilha, tendo sido devolvido ao Grémio quando a guerra acabou.

Nos anos 50 parte do edifício foi ocupada pela Rádio Barlavento que foi um importante veículo de comunicação para o povo são-vicentino e foram lá gravados vários discos de artistas nacionais, entre os quais a Cesária Évora.

Descontentes com a utilização dada à casa a população descontente fez uma revolução e restituíram a Rádio Barlavento e a casa, ao povo da ilha mudando o nome da rádio para Rádio Voz de São Vicente. Nessa altura também a casa foi cedida pelo primeiro-ministro de então, o comandante Pedro Pires, ao Centro Nacional das Artes onde foi ampliado por forma a realizarem-se outras atividades culturais. O Centro era auto-sustentável, vendendo os produtos que produziam, mas acabou mesmo assim por se encerrar isto por culpa das várias mudanças governamentais. Após quatro anos sem qualquer atividade, o Centro reabre como Museu de Arte Tradicional, tempos depois mudou de nome para Casa do Senador e perdeu o estatuto de museu.

Em 2005 e 2013 o edifício esteve em obras para a sua recuperação e a sua reabertura foi adiada por duas vezes por causa dos atrasos nas obras e subsequente aumento de custo. Com mais uma mudança governativa ressurge o projeto inicial e a casa passa a acolher o Centro Nacional de Artesanato e Design com estatuto de Museu, onde a par de uma mostra permanente, pretende estimular a componente de formação às novas gerações e fazer renascer o artesanato tradicional como forma de contributo para a economia nacional.

RestaurantsChez Loutcha
Restaurants
• Mindelo, Cape Verde
• Latitude: 16.884211 - Longitude: -24.987539
Situado na entrada da cidade do Mindelo, para além dos quartos bem equipados e confortáveis, dispõe de um restaurante de excelência, qualidade reconhecida por todos que por ali passam e tenham a oportunidade de saborear uma das especialidades euro-africana, ao som da música tradicional ao vivo (de terça-feira a sábado). Tem, ainda, a disposição, um serviço de snack-bar e um boutique com artesanato local.  Famosos são também, os almoços self-service realizados aos domingos, no Chez Loutcha Calhau, zona piscatória que fica a uns 15 km da cidade, com música tradicional ao vivo. 

RestaurantsChurrasqueira “Grills”
Restaurants
• Mindelo, Cape Verde
• Latitude: 16.891462 - Longitude: -24.986822
O restaurante/churrasqueira "Grills" fica localizado no último andar de um prédio à beira-mar, na Rua da Praia, com uma deslumbrante vista da baía do Mindelo. Aqui poderá degustar pratos ligeiros e uma grande variedade de grelhados de mariscos, peixes e carnes, ao som da música ao vivo, aos fins de semana. Apresenta um cenário único de palmeiras, que cercam a pista de dança, onde se realizam, periodicamente, bailes com música tradicional. Coloca, ainda, à disposição dos clientes, o Grills Baía das Gatas, localizado na praia do mesmo nome, onde se realiza o famoso Festival Internacional de Música. 

MonumentsCinema Eden-Park (Mérite le détour)
Monuments
• Mindelo, Cap-Vert
• Latitude: 16.889942 - Longitude: -24.987476
Media
  • Photo(s): 1
 Um espetacular conjunto arquitetónico dos meados do século XX, propriedade de César Marques e construída sob a direção do engenheiro civil Júlio Bento de Oliveira. No local existiam antes os Jardins Dona Angélica que era o viveiro municipal até o terreno ser cedido ao Sr. Isaac Wahnon em 1921, que propunha lá construir o novo cinema local. Em 1922 houve a inauguração do primeiro edifício do cinema ai construído que mais tarde foi reedificado pelo Sr. César Marques. O novo edifício de estilo “moderno” (anos cinquenta) foi inaugurado em 1945. Já propriedade do Sr. César Marques que morrendo em 1947 passou para o comando aos filhos Djosa (José Lopes) e Lulu (Luís Filipe) Marques, o cinema foi e é considerado um dos patrimónios mais importantes da ilha e não só. Para além de cinema era também sala de espetáculos de vários tipos, musicais, boxe, conferências, teatro, etc. que contribuíram para a elevação da cultura dos cabo-verdianos. A esplanada e a varanda da frente do edifício só foram feitas em 1967 e em 1968 foram feitas obras de melhoramento na esplanada para a tornar em um restaurante e casa de chá, tendo sido colocado na altura o portão para afastar os engraxadores que se tinham instalado na escadaria e que danificavam a esplanada. O cinema Éden Park fechou as portas em março de 2011 depois de muitos anos de dificuldades e foi vendido ao empresário dono do MindelHotel. Está encerrado desde então e vem-se degradando a olhos vistos e entregue a vandalismo. Depois de muita contestação por parte da população pelo estado do edifício, o novo proprietário entregou na Câmara Municipal um projeto para a sua recuperação, que foi colocado à apreciação pública. Este projeto levantou ainda mais manifestações e protestos por se considerar que o projeto não é o adequado e dessa vez juntando-se à contestação alguns arquitetos da ilha e do país.
 

RestaurantsColombinho Bar & Restaurant
Restaurants
• Rua Unidade Africana, Mindelo, Cape Verde
• Latitude: 16.887457 - Longitude: -24.988003
O Colombin distingue-se pela sua esplanada ao ar livre, aconchegada num pátio interior de um pequeno centro comercial, situado no antigo quintal da sociedade Luso-Africana, no centro histórico da cidade do Mindelo.  
 
Deve o seu nome ao grande centro comercial Colombo de Lisboa, Portugal, um dos maiores "shoppings" da Europa. O humor característico do povo de São Vicente importou o nome com que batizaram o pequeno aglomerado de lojas que em nada se assemelha a dimensão do centro comercial português. As lojas são na sua maioria boutiques.  
 
O restaurante fica situado no pátio, ladeado pelas lojas. 
 
O ambiente é naturalmente “climatizado” graças aos seus “chapéus-desol”, o piso em pedra, a sombra de algumas árvores e dos edifícios circundantes. A sua localização citadina, bem no centro da cidade e o horário alargado permite que seja considerado como um excelente recanto para comes e bebes.

O Colombin é uma opção interessante para degustar pastéis típicos da ilha, croquetes de peixe e mariscos. 

MonumentsEdificio ex-Madeiral
Monuments
• Mindelo, Cap-Vert
• Latitude: 16.885839 - Longitude: -24.987715
O antigo edifício das Águas de Madeiral foi construído por volta de 1884-1886, serviu de sede da Empresa das Águas de Madeiral e, depois, da Companhia das Águas da Cidade de Mindelo - São Vicente. Os proprietários eram os senhores Manuel Gomes Madeira, George Rendall e Aleixo Justiniano Sócrates da Costa que eram os sócios da empresa. O edifício foi feito com o maior esmero da parte do Sr. Madeira que era um grande comerciante, mandando trazer os mármores da grande escadaria e os respetivos corrimões de ferro forjado diretamente do Reino de Portugal. Na base interior do edifício ficavam 10 (dez) torneiras para o abastecimento e os muros delimitavam um pátio com um belíssimo jardim, com muitas árvores e flores. 
Por insistência, principalmente, do Sr. Madeira, a 27 de maio de 1886, a cidade do Mindelo ganhava o seu abastecimento de água vindo das nascentes do Madeiral que chegavam à cidade, através de 10 km de canalizações feitas de ferro fundido; a água era depois distribuída às casas pelas senhoras que transportavam à cabeça, em latas de 20 litros, inicialmente, ao preço de 20 centavos e, mais tarde, 50 centavos. Com o passar dos tempos a água começou a escassear por falta de chuva, e levou à decadência da empresa.
Após a abertura da JAIDA na Laginha, o edifício esteve fechado durante vários anos até que foi restaurado pela Câmara Municipal, em 1998, passando a funcionar alguns dos seus serviços, nesse espaço

MonumentsEscultura de Gago Coutinho e Sacadura Cabral
Monuments
• Ave Marginal, Mindelo, Cap-Vert
• Latitude: 16.888884 - Longitude: -24.991785
Media
  • Photo(s): 1
Escultura de João Cutileiro colocada na Pontinha, atualmente parte da Avenida Marginal, marco do lugar da aterragem de Gago Coutinho e Sacadura Cabral em São Vicente, por ocasião da primeira travessia aérea do Atlântico Sul.

Este monumento foi oferecido à cidade do Mindelo pela Comissão Nacional para as Comemorações dos Descobrimentos Portugueses, por ocasião das comemorações do V centenário da assinatura do Tratado das Tordesilhas, a 20 de Julho de 1994. Gago Coutinho (1869-1959), natural de Lisboa, foi almirante da armada portuguesa, historiador, matemático e geógrafo.

Sacadura Cabral, oficial da marinha e arrojado navegador, nasceu em Celorico da Beira em 1880. Juntos fizeram a referida travessia entre Portugal e Brasil. O primeiro monumento erigido no mar (que se presume no mesmo sitio) foi retirado quando se fez a Avenida Marginal e não se sabe qual foi o seu destino.

MonumentsEstatua de Diogo Afonso (Mérite le détour)
Monuments
Praceta dos Navegadores
• Ave Marginal, Mindelo, Cap-Vert
• Latitude: 16.884789 - Longitude: -24.989820
Media
  • Photo(s): 2
Estátua feita pelo escultor Gustavo Bastos que foi inaugurada a 2 de Maio de 1961, na presença do governador Silvino Silvério Marques e do Presidente da Câmara Municipal de S. Vicente, o médico e romancista Henrique Teixeira de Sousa.

Foi colocada na Praça Estrela em frente à Vascónia, perto do mar. Depois da Independência, foi retirada e esteve alguns tempos no quintal da Vascónia, mas retornou à Praça tempos depois.

Aquando da remodelação da Praça Estrela em 1999 foi colocada na Praceta do Navegador, perto do mar, onde todos concordam ser o melhor lugar por ter sido ele o descobridor da Ilha. Diogo Afonso foi o navegador português que no século XV descobriu as ilhas ocidentais de Cabo Verde, incluindo São Vicente a 22 de Janeiro de 1462.

MonumentsEx-Consulado Português - Restaurante Escale
Monuments
• Escola primária de Chã de M.nha, Mindelo, Cap-Vert
• Latitude: 16.865162 - Longitude: -24.977179
O edifício foi construído em 1930, por Gualdino Brito e, sempre serviu de moradia até o Consulado Português passar a funcionar nesse espaço. A casa é famosa, também, por aparecer no Filme “O Testamento do Senhor Napumoceno” feito em 1997, onde era a casa do Sr. Napumoceno. Foi comprada por uma ex-emigrante, que a remodelou e a transformou em restaurante e moradia há mais de dez anos.

ÉvénementsFestas de São João- Ribeira de Julião (Mérite le détour)
Événements
• Mindelo, Cap-Vert
• Latitude: 16.864061 - Longitude: -24.985985
As atividades alusivas ao São João comemora-se a 24 de Junho na Ribeira de Julião e atrai pessoas de todos os cantos da ilha. A festa começa uns dias antes, com a montagem de barracas na localidade, que dá início à movimentação, e que culmina no dia do santo, com a realização da romaria que parte da cidade do Mindelo para a Ribeira de Julião, com a tradicional dança do colá San Jon ao som dos tambores.
 
Na Ribeira de Julião, e, após as cerimónias religiosas, realizam-se atividades várias que vão desde o concurso de cola San Jon, jogos diversos, ao espetaculo musical, que passou a ser realizado nos últimos anos, sendo possivel, ainda, apreciar saborosos pratos típicos da época.  
 
A Ribeira de Julião situa-se pouco após a saída do Mindelo, ladeando a estrada que liga essa cidade à aldeia do Calhau. É uma zona que tem conhecido grande expansão nos últimos tempos, com várias construções novas, podendo vir a tornar-se, futuramente, num subúrbio do Mindelo. Nela se situa o Departamento das Ciências do Mar, da Universidade de Cabo Verde (UniCV, ex-ISECMAR).

ÉvénementsFestiva do Natal e Passagem (Mérite le détour)
Événements
Grande Festa Popular - Mindelo - Ilha de São Vicente
• Ave Marginal, Mindelo, Cap-Vert
• Latitude: 16.886190 - Longitude: -24.989004
Media
  • Photo(s): 3
A quadra festiva do Natal e Passagem de Ano é uma grande festa em São Vicente, com ruas iluminadas e enfeitadas e com a cidade a conhecer uma animação contagiante, com música na Rua de Lisboa e muitos emigrantes, estudantes e residentes em outras ilhas que vêm passar o Natal com os familiares.

A Passagem de Ano é uma grande festa popular, com uma tradição muito antiga de muita gente sair à rua para esperar a meia-noite junto à Avenida Marginal.

O tradicional fogo-de-artifício, que durante décadas se resumia aos foguetes do tipo very-light atirados pelos barcos na baía, evoluiu, nos últimos anos, para um espetáculo grandioso que ilumina a baía e o próprio Monte Cara.

Outra tradição cuja origem se perde na memória dos tempos, são os apitos dos barcos à meia-noite, que é respondido pelos carros em terra.

Muitas pessoas tomam banho no mar, também uma tradição antiga. A esmagadora maioria da população da ilha concentra-se na avenida marginal, um espetáculo único a nível do país, que cada vez mais se vem transformando em produto turístico, vendo-se cada vez mais turistas de várias nacionalidades que vêm, propositadamente, para assistir à Passagem de Ano em São Vicente.

É tradição grupos de crianças e adultos saírem às ruas no dia 31 de Dezembro, para irem de porta em porta cantar temas típicos da época como o “Racordai”, recebendo dinheiro, em troca, e os amigos são convidados para entrar e petiscar.

Nos últimos anos, a Câmara Municipal tem promovido um baile popular na Rua de Lisboa, que se enche de uma multidão, com dezenas de milhares de pessoas, a cantar e a dançar, após a meia-noite e até o raiar do dia 1 de Janeiro, ao som de grupos musicais nacional e internacional conceituados.

Na manhã do dia 1 de Janeiro, as pessoas, a saírem das festas, dirigem-se à Praça Nova, para, juntamente, com a Banda Municipal, percorrerem as principais ruas da cidade e arredores, a tocar as “Boas Festas”, uma tradição bastante antiga, típica da ilha de São Vicente.

MonumentsFortim d’el Rei (Mérite le détour)
Monuments
• Mindelo, Cap-Vert
• Latitude: 16.890703 - Longitude: -24.993248
Media
  • Photo(s): 1
Construído entre 1852 e 1853 devido à necessidade de proteger a baía por causa do comércio de carvão.
Feito numa arquitetura muito sóbria, o Fortim é constituído por uma estrutura térrea, de forma aproximadamente quadrangular em planta, com um pátio central e salas internas envolvidas por varanda e terraço. É a construção mais antiga da cidade, mas foi sujeita a várias reparações e ampliações dependendo das funções que, na altura, decidiam atribuir-lhe.
Foi estação de sinais em 1881 e Cadeia Civil entre década de trinta e setenta do século passado, aquando da transformação da cadeia existente em Quartel Militar e, só deixou de o ser quando a atual cadeia da Ribeirinha foi construída em 1971. Esteve durante muitos anos ocupado por uma família que servia de guarda e durante esse tempo esteve ao abandono. Encontra-se em completa ruina e, somente, com algumas paredes de pé. Em 2008 foi dado, a título de concessão, à empresa Fortim Mindelo S.A. que comprou os terrenos adjacentes, para a construção de um casino, que se encontra dentro do projeto turístico-imobiliário pretendido para o lugar, mas a construção não avançou, encontrando-se em ruina completa.
 

RestaurantsFund’mar
Restaurants
• rua de lisboa, Mindelo, Cape Verde
• Latitude: 16.886469 - Longitude: -24.988199
É um bar e pizzaria situado na Rua de Lisboa, a principal rua da cidade do Mindelo. Inicialmente, funcionava na cave desse edifício, tendo depois, com a remodelação do espaço, passado para a parte superior do mesmo prédio.

Com uma decoração original, é considerado um dos bares mais emblemáticos da ilha. Ao fundo das escadas de madeira, as paredes são autênticas amostras de arte. Nelas estão representadas grutas marinhas com polvos, peixes e tubarões, feitos de pedra, em tamanho natural.

É famoso pelas suas pizzas de sabores diversos e os ponches de frutos nacionais, designadamente: Ponche de mel, de coco e de “tambarina”, são apenas alguns exemplos da especialidade da casa.  Destaca-se, também, pela jovialidade do atendimento e pela constante modernização, nomeadamente, o novo sistema de som e a introdução de ecrãs que transmitem concertos de música, sobretudo os sucessos brasileiros e norte-americanos.

MonumentsHospital Velho - Hospital Dr. Baptista de Sousa
Monuments
• Mindelo, Cap-Vert
• Latitude: 16.884394 - Longitude: -24.984861
Media
  • Photo(s): 1
Em 1880 começou a construção do hospital, pela necessidade de ter instalações maiores porque o que existia, era misto, civil e militar, e também para dotar a ilha de melhores condições de saúde. A localização escolhida, Lombo de Palha, atualmente, Lombo, teve em conta o tamanho do edifício a construir e, também, possíveis expansões. A obra foi inaugurada em 14 de setembro de 1901, com o nome de Hospital Militar e Civil de São Vicente.
Entre 1976-1979 começam as obras do novo hospital que viria a ter o nome de Hospital Dr. Baptista de Sousa. O Dr. José Baptista de Sousa, que o povo chamava de Engenheiro Humano, era um médico-cirurgião e militar português, que esteve em São Vicente, entre 1942 e 1944 e, era muito querido pelo povo. Atendia tanto aos militares, como a população, salvou muitas vidas e melhorou a condição de vida de outros, com as suas técnicas cirúrgicas bastante avançadas. A admiração do povo da ilha foi demonstrada aquando da despedida preparada pelas autoridades locais e pelo povo que o acompanharam, desde a sua casa até ao cais, em ombros.
Com o crescimento da cidade, o Hospital Velho tornou-se pequeno para a população, pelo que, passou a funcionar, em 1978, no “New Building” do antigo Telégrafo, atual CVTelecom, até à inauguração do novo hospital, em outubro de 1984.

HôtelsHotel Oasis Atlantico Porto Grande
Hôtels
• Praça Amilcar Cabral, Rua Argelia, Mindelo 103, Cape Verde
• Latitude: 16.889467 - Longitude: -24.987720
Com uma localização privilegiada no centro da cidade, frente à praça principal, Amílcar Cabral, e a cinco minutos a pé dos principais pontos turísticos da cidade: Baía do Mindelo, Centro Nacional de Artesanato e Design, Palácio do Povo, Mercado Municipal, Museu do Mar, Rua da Praia, com a famosa réplica da Torre de Belém, Marina do Mindelo e, a possibilidade de ir de Ferry até à Ilha vizinha, Santo Antão, o Hotel Oásis é um empreendimento turístico, presente em várias ilhas do arquipélago, nomeadamente S. Vicente (Oásis Atlântico Porto Grande), Santiago (Oásis Praia-Mar) e no Sal (Oásis Salina SEA e Oásis Belo Horizonte).

O Oásis Atlântico Porto Grande, em São Vicente, coloca à disposição dos clientes os seguintes serviços: piscinas de água doce para adultos e crianças, ginásio, auditório equipado com meios áudio visuais e tecnológicos e, animação/espetáculos noturnos. Dispõe, ainda, de serviços prestados por terceiros, designadamente: centro de mergulho, SPA, excursões, rent-a-car, serviço de táxis, serviço médico, lojas de artesanato e souvenirs.

Restaurantes e Bares
Poderá optar entre a tradicional gastronomia cabo-verdiana e a mais sofisticada cozinha portuguesa e internacional e o lanche tradicional todas as quintas-feiras, com acompanhamento musical ao vivo.

Lobby - Bar
Com vista para a Praça “Amílcar Cabral”, poderá disfrutar de uma bebida neste bar esplanada, acompanhado da música cabo-verdiana ao vivo, nos fins-de-semana.    
 
Esplanada Syrius
Para quem aprecia um clima mais jovem e descontraído, o Oásis Atlântico Porto Grande coloca à disposição a Esplanada Syrius. Com localização sobranceira à Praça “Amílcar Cabral”, aqui poderá saborear uma refeição ligeira ou simplesmente fazer uma pausa, com uma bebida refrescante.

Discoteca Syrius
Para quem procura uma estadia mais animada, a discoteca Syrius encontrase localizada no edifício do hotel, tendo os hóspedes acesso livre.

Kalimba Beach Club
Se preferir disfrutar da bela praia da Laginha, que fica a 10 minutos a pé do hotel, tem a sua disposição o Kalimba Beach Club. Ali tem a sua disposição um serviço de bar/restaurante, cadeiras/camas para banhos de sol, com a possibilidade de um mergulho nas águas refrescantes da Laginha.

MonumentsHotel Porto Grande (Mérite le détour)
Monuments
• Mindelo, Cap-Vert
• Latitude: 16.876547 - Longitude: -24.981350
Media
  • Photo(s): 2
Construído em 1966-1968, foi o primeiro de São Vicente com todas as funcionalidades de um hotel moderno e de qualidade. Antes da sua construção, o terreno encontrava-se abandonado e pertencia à Câmara Municipal, que o tinha adquirido ao Telégrafo. Na altura, albergava alguns casebres que foram ocupados pelos militares que os transformaram em Posto Militar, durante a segunda Guerra Mundial. Havia a travessa Serpa Pinto que o separava do Cinema Éden Park, onde se previa o alargamento do cinema, mas acabou por incorporar-se ao hotel.
 
Em 1966, a Sociedade de Turismo de Cabo Verde Lda começou a construção do edifício que, na altura, já era considerado como sendo de Utilidade Turística e a sua inauguração foi a 11 de Janeiro de 1968. Em 1995, o edifício foi remodelado, modernizado e ampliado, tendo sido acrescentada a parte comercial, que fica de frente para a Praça Nova.

Monuments ReligieuxIgreja Nossa Senhora da Luz
Monuments Religieux
• Mindelo, Cap-Vert
• Latitude: 16.885513 - Longitude: -24.987858
Media
  • Photo(s): 2
Construída em várias fases e considerada do tipo seiscentista por causa das suas proporções, arco triunfal e posição dos seus altares laterais, não há uma data exata do início da sua construção, mas na planta da ilha de 1820 já constava uma igreja no local.
 
O edifício, como se encontra hoje, é um resultado das obras públicas na ilha que começaram em 1858/59, tendo sido construído em várias fases por causa de diversos constrangimentos monetários, mas no local já existia um edifício quando se começou as obras.
 
A igreja foi, oficialmente, inaugurada em 1862, mas as obras ficaram concluídas somente em 1863. O edifício já foi reabilitado várias vezes, sendo as maiores reabilitações em 1927 pelo Padre Lucas Machado que ampliou a Sacristia e o terraço e reabilitou a torre.
 
Na década de sessenta, o Padre Fernando de Sousa construiu o Salão Paroquial no lado Norte, tendo em 2012 sofrido uma grande remodelação que veio acrescentar mais espaço à Igreja, ajudando no seu funcionamento administrativo e paroquial

MonumentsLiceu Gil Eanes / Liceu Velho (Mérite le détour)
Monuments
• Mindelo, Cap-Vert
• Latitude: 16.886360 - Longitude: -24.985952
Media
  • Photo(s): 3
 Este edifício, popularmente conhecido por Liceu Velho, é um dos edifícios mais notáveis da cidade do Mindelo, não só pela sua imponente presença arquitetónica, mas também pelo seu valor patrimonial. Construído por fases, durante vários anos, o edifício teve várias funcionalidades. Começou a ser construído em 1859 para alojar o Quartel Militar, em 1871 foi reservado para a residência do Governador e, em 1873, ficou concluído o rés-do-chão e o chamado Largo da Parada (hoje Praça dos Antigos alunos do Liceu Gil Eanes).
 
Com a construção das instalações militares no Morro Branco, na década de vinte do século passado, foi aprovado, em 1921, o orçamento para a instalação do Liceu Nacional Infante D. Henrique, no edifício. Ainda, no mesmo ano, foi aprovado o projeto de transformação do Quartel Antigo e Frontispício do Liceu, a fim de se Instalar a Estação Postal e a construção de um andar a Repartição dos Correios e Telégrafos “, obras estás que duraram cerca de três anos e meio. Em 1924, a Estação Postal passou para as suas instalações próprias e a parte do liceu foi ampliada poucos anos depois.
Começou em 1927-28 e ficaram concluídas em 1932 o primeiro andar do Liceu (parte traseira do edifício). Com a mudança de utilização do edifício, o largo da parada, antes fechado ao público, foi aberto e passou a chamar-se Largo do Liceu ou pracinha dos Correios, sendo a designação oficial, Praça Dr. Duarte Silva.
 
Em 1937, foi extinto o liceu pelo governo, mas foi forçado a reabri-lo no mesmo ano, mas, desta vez, com o nome Liceu Gil Eanes. No início da década de 50 do século passado, a escola foi ampliada através de novas construções do lado Este do edifício principal. Quando o Liceu foi transferido em 1968 para o novo edifício, o prédio começou a funcionar como Escola Primária João Belo e, depois da independência, Escola Preparatória Jorge Barbosa. Funcionou aí, também, durante alguns anos, a Delegação do Ministério da Educação de S. Vicente.  
 
O antigo Liceu de São Vicente constituiu a mais importante escola deste tipo, na fase colonial, no arquipélago, tendo sido uma das mais relevantes instituições na África Portuguesa, em termos pedagógicos e culturais, por várias décadas. Aí estudaram quase todos os grandes homens da cultura, letras e política de Cabo Verde, inclusive o Amílcar Cabral. Baltasar Lopes da Silva, considerado por muitos, como o maior intelectual cabo-verdiano, foi o reitor durante vários anos. A nível arquitetónico, a fachada exibe uma expressão geral marcada por elementos oitocentistas com vãos de arco perfeito e platibanda, moldurando um conjunto de quatro janelas com desenho tripartido a recordar os liceus de Lisboa.
Vem sendo alvo de uma profunda remodelação em 2017, devolvendo à sua fachada o brilho anterior.
 
Atualmente, o edifício pertence á UNICV (Universidade de Cabo Verde), onde funciona, também, a M_EIA (Mindelo Escola Internacional de Arte).

MonumentsLiceu Ludgero Lima
Monuments
• Mindelo, Cap-Vert
• Latitude: 16.881399 - Longitude: -24.985521
Media
  • Photo(s): 2
O edifício do novo Liceu do Mindelo, então designado por “Liceu Gil Eanes”, foi construído nos anos 1950‐1960, fora do centro da cidade. Feito numa arquitetura que na época era de “gosto oficial”, numa expressão de transição entre o desenho classicista e o moderno, com projeto do Arquiteto Eurico Pinto Lopes.

Após a independência foi-lhe atribuído o nome de Liceu Ludgero Lima, em homenagem, ao ex-guerrilheiro do PAIGC, morto num acidente de aviação, que tinha exercido as funções de Contínuo nesse estabelecimento de ensino, nos anos sessenta.

PortsMarina da Associação Sport Fishing Club do Mindelo
Ports
• Mindelo, Cap-Vert
• Latitude: 16.888783 - Longitude: -24.992079
Media
  • Photo(s): 4
Esta Marina aceita apenas embarcações que sejam membros/sócios da Associação Sport Fishing Club do Mindelo, sem fins lucrativos, cujo objetivo é incentivar a prática de desportos náuticos, nomeadamente, pesca desportiva, motonáutica, caça submarina e promover eventos desportivos náuticos, vela e demais atividades conexas. Colabora, ainda, com as instituições ligadas ao turismo, para promover este setor. Possui instalações próprias, feitas em 2012-2013, com bar, restaurante e uma escola de mergulho.   

Tel:  +238 993 13 32
E-mail:  caboverdefishingcenter@yahoo.it
Site web:  http://www.caboverdefishingcenter.com/index.php/en/
Ports OdysseaMarina Mindelo
Ports Odyssea
• Mindelo, Cape Verde
• Latitude: 16.886997 - Longitude: -24.990191
Media
  • Photo(s): 4
Localizado em Mindelo, na ilha de São Vicente, esta primeira marina de Cabo Verde é um paraíso para os iates, oferecendo uma posição protegida, com muitos serviços no local.
Construída em setembro de 2005 pelos investidores alemães, Lutz Meyer-Scheel e Kai Brossmann, que possuem uma longa experiência em diversas áreas dos desportos aquáticos e em turismo. Em 2003, já tinham construído uma primeira pequena Marina, para 15 iates, que se situava diretamente no Caís de passageiros do Porto Grande.
A Marina tem capacidade para acolher mais de 140 barcos até 50m de comprimento e 4,5m de largura. Todas as instalações que se espera de uma Marina de ponta estão disponíveis, incluindo gás, diesel, água, eletricidade e um Bar & Bistro flutuante.
Berths” estão disponíveis, a partir de aluguéis diários até arrendamentos de longo prazo. Os preços e as tarifas para arrendamentos de longo prazo são cerca de 50% das marinas comparáveis no Mediterrâneo ou Ilhas Canárias.
O acesso é feito através do Cais de Alfândega restaurado (o antigo cais aduaneiro), que pertence a Marina Mindelo, permitindo a livre circulação das pessoas.

Tel:  (+238) 2325210
E-mail:  mail@marinamindelo.cv
Site web:  http://www.marinamindelo.cv
RestaurantsMarina Mindelo Floating Bar
Restaurants
• Ave Marginal, Mindelo, Cape Verde
• Latitude: 16.886782 - Longitude: -24.990475
Espaço acolhedor e privilegiado na Marina, com uma excelente vista da baía do Mindelo. Ideal para uma bebida no final da tarde, disfrutando de um maravilhoso por do sol. Oferece pratos especiais de peixes, mariscos e outros.

RestaurantsMartini Sunset
Restaurants
• Mindelo, Cape Verde
• Latitude: 16.902884 - Longitude: -24.996557
O espaço surgiu no verão de 2016 e tem conquistado o público mindelense, principalmente os mais jovens. Com uma vista privilegiada sobre a baía do Mindelo, é o local ideal para se disfrutar de um maravilhoso pôr-do-sol. Apresenta um serviço de bar e uma pizzaria, bem como uma piscina disponível para os clientes. O local pode ser utilizado para eventos particulares.

Halles et MarchésMercado de Peixe (Mérite le détour)
Halles et Marchés
• Mindelo, Cap-Vert
• Latitude: 16.884050 - Longitude: -24.990114
Media
  • Photo(s): 4
Situado ao lado da capitania dos portos, foi construído entre 1926 e 1928 junto ao mar onde possibilitava o descarregamento do pescado no cais que também lá foi feito. Nos anos noventa sofreu obras de requalificação e embelezamento dando uma boa cara ao edifício.

Halles et MarchésMercado Municipal (Mérite le détour)
Halles et Marchés
• Mindelo, Cap-Vert
• Latitude: 16.886347 - Longitude: -24.987600
Media
  • Photo(s): 2
Mercado Municipal: Construção do século XIX de estilo colonial, ampliado e remodelado no século XX.
O terreno ocupado para a construção do mercado pertencia a Sebastião Luiz Monteiro, Pároco da Freguesia, que tinha ali uma horta circundada de um muro para a produção de hortaliças.
Tempos depois, o local foi adquirido pelo Governo que o transformou numa espécie de praça pública, a que foi dado o nome de “Largo do Albuquerque”.
 
O primeiro mercado que foi feito era, simplesmente, um recinto com espaços para venda e a sua primeira pedra foi lançada a 10 de Março de 1874, no âmbito da comemoração da chegada do cabo telegráfico submarino da Brazilian Submarine Telegraph. A construção foi feita durante vários anos, com várias fases e diferentes partes, a serem erigidas ou melhoradas até 1897.
 
Foi considerada uma elegante edificação com quatro pavilhões para a venda de carnes, peixe, verduras, etc, tendo, no centro, um poço com armações de ferro. O Mercado como é hoje, foi construído em 1930-1933, em estilo colonial. Os muros foram substituídos por betão armado, as lojas ganharam mais um piso, foi feita uma entrada para a Rua de Lisboa, com uma escada considerada monumental, foi retirado o gradeamento que ficava em cima dos muros, o poço desaparece e é feito um novo telhado com uma estrutura toda feita de madeira. Anos depois, foi acrescentado o sanitário público, do lado da Rua de Lisboa. Em 1980 foi fechado porque representava um perigo público, dado o avançado estado de degradação em que se encontrava. Recuperado em 1985, com o projeto do arquiteto Leo Papini, da ABAKO, Parceiros Internacionais AB, está hoje em bom estado de conservação e é um orgulho para a ilha, sendo muito visitado pelos turistas.
 

Villes-PortsMindelo (A voir absolument)
Villes-Ports
• Mindelo, Cape Verde
• Latitude: 16.878517 - Longitude: -24.984097
Media
  • Photo(s): 6
Mindelo é uma cidade que se localiza na ilha de São Vicente, é sede do concelho homónimo e é a segunda maior cidade de Cabo Verde. Ocupa uma área total de 67 km² a noroeste da ilha, na Baía do Porto Grande, porto natural formado pela cratera submarina de um vulcão com cerca de 4 km de diâmetro. O Ilhéu dos Pássaros, com 82 metros de altitude e que hospeda um pequeno farol, sinaliza a outra extremidade da cratera.

Encruzilhada obrigatória de barcos de todas as nacionalidades, a cidade de Mindelo tornou-se um ponto de encontro de marinheiros de todas as culturas, nos numerosos locais de lazer e de prazer que proliferavam na cidade. Ao longo dos tempos, Mindelo foi-se tornando um centro cultural importante onde o desenvolvimento artístico, nomeadamente a música, a intelectualidade e o desporto acompanham – à sua escala – os grandes centros culturais do mundo.

São Vicente é uma ilha de contrastes onde se respira uma atmosfera invulgar e muito própria. As ruas da capital, Mindelo, são alegremente adornadas por uma arquitectura colonial europeia e pelo cosmopolitismo que paira no ar, enquanto o interior da ilha é seco e com algum relevo associado.

A ilha de S. Vicente é também local de belas praias de água tépida e cristalina, como a praia de Salamansa, Baia das Gatas ou a praia de São Pedro, para os amantes do windsurf.

Com uma rica tradição musical, a cidade do Mindelo é considerada a “capital cultural” do país, oferecendo ainda ao visitante bons restaurantes onde poderá saborear gastronomia rica, ao som de belas mornas ou coladeira.

Etapes d'itinérairesMindelo
Etapes d'itinéraires
• Mindelo, Cape Verde
• Latitude: 16.881182 - Longitude: -24.995367
Etapas de itinerario Odysseus.

Espaces NaturelsMonte Cara (Mérite le détour)
Espaces Naturels
• Mindelo, Cap-Vert
• Latitude: 16.866690 - Longitude: -25.050787
Media
  • Photo(s): 1
O Monte Cara é uma elevação com 490 metros de altitude, a oeste da Baía do Porto Grande, em frente à cidade do Mindelo.
O Monte Cara, que deve o seu nome ao facto do seu recorte fazer lembrar um rosto humano olhando o céu, é o ex-libris da cidade. Também já foi chamado Monte Washington ou Cabeça de Washington, segundo se diz pelos marinheiros americanos dos barcos baleeiros que demandavam o Porto Grande no século XIX, à procura de tripulação, e que deu origem à emigração de cabo-verdianos, que se fixaram no porto baleeiro de New Bedford, na zona de New England.
Existe uma lenda contada pelos mais antigos de que os portugueses quando chegaram à ilha identificaram a cara como sendo de D. Afonso Henriques.
A vista do topo é espectacular, podendo-se avistar toda a cidade do Mindelo e a Baía do Porto Grande. O Monte Cara foi eleito em 2013 como uma das Sete Maravilhas de Cabo Verde.

MonumentsMonumento B.Leza (Mérite le détour)
Monuments
1905-1958
• Ave Holanda, Mindelo, Cap-Vert
• Latitude: 16.880028 - Longitude: -24.985809
Monumento feito na praça de mesmo nome na década de noventa do século passado, é uma escultura da autoria do artista Domingos Luísa. Francisco Xavier da Cruz, “B.Léza”, nasceu em S. Vicente, a 03 de Dezembro de 1905.

Foi grande músico, compositor, poeta e autor de mornas muito apreciadas, das quais se destaca “Eclipse”, uma das suas mais belas composições, tendo sido inserida no romance Chiquinho, de Baltasar Lopes da Silva. O violão “O Bronze” era o seu companheiro inseparável. Com ele compôs quase todas as suas lindíssimas mornas.

No seu leito de morte fez a sua última composição “Lua nha Testemunha”. Faleceu em S. Vicente, a 14 Junho de 1958, aos 52 anos de idade. É consensual em Cabo Verde, que a morna, tal qual a conhecemos, é uma criação de B. Léza, que lhe introduziu o meio-tom brasileiro (acorde de passagem), tendo alterado para sempre a forma como a morna é tocada e inspirados todos os compositores posteriores a ele.

B. Léza, para além de exímio intérprete de violão e compositor de mornas, foi ainda dos primeiros cabo-verdianos a compor sambas, já nos anos vinte do século passado, poucos anos depois desse género musical ter sido popularizado no Rio de Janeiro, o que atesta bem a ligação que existia entre o Mindelo e o Brasil, fruto da passagem frequente de barcos brasileiros pelo Porto Grande.

Segundo os relatos, estes faziam desembarcar as suas orquestras que actuavam no coreto da Praça Nova e intercambiavam com os músicos locais, entre os quais B. Léza. Devido a essa influência brasileira, B. Léza foi um dos fundadores do primeiro grupo de Carnaval do Mindelo, de nome “Florianos” ainda nos anos vinte do século passado.

MuséesMuseu do Mar (Mérite le détour)
Musées
Réplica da Torre de Belém
• Mindelo, Cap-Vert
• Latitude: 16.882317 - Longitude: -24.990726
Media
  • Photo(s): 5
Em 2013, o Instituto do Património Cultural (IPC) dá início ao projeto de instauração do Museu do Mar, no edifício Réplica da Torre de Belém. O processo começou com a recolha de peças e a conceção museológica e museográfica e culminou com a inauguração do museu, a 16 de Abril de 2014. O Museu do Mar está sob a tutela do IPC através da Direção de Museologia e Museus e foi criado no âmbito do projeto Rede Nacional de Museus do IPC.
A exposição permanente espelha a filosofia do museu. O espólio apresentado ao público demonstra aquilo que se propõe valorizar, estudar, preservar e divulgar. A exposição está organizada por pisos temáticos que se complementam entre si. Ela começa com breves apresentações textuais sobre aspetos históricos do Povoamento da Ilha e do Edifico Torre de Belém bem como a apresentação de exemplares de peças ligadas à economia do mar. Esta primeira mostra pretende ilustrar como o mar foi moldando as tradições e a cultura das ilhas.
O museu do mar apresenta também uma coleção de objetos provenientes do “Museu da Baleia de New Bedford”. Trata-se de uma exposição de carácter permanente situada no 3º e 4º piso da torre, ocupando as 3 salas e um corredor com peças e imagens que testemunham a ligação económica e sociocultural de Cabo Verde e EUA, no que toca a emigração e a industrialização da pesca da baleia.
O museu expõe também um conjunto de objetos do património arqueológico subaquático proveniente do Museu de Arqueologia, na Praia, representativo de alguns naugráfios de navios comerciais de diversas nacionalidades (portuguesa, espanhola, inglesa, holandesa e norte americana) ocorridos nos mares de Cabo Verde nos sécs. XVIII e XIX.
O património imaterial é contemplado pelo museu através duma recolha de testemunhos entre os profissionais do mar sobre o universo simbólico edificado ao longo dos tempos, de geração em geração. Trata-se duma apresentação de textos sobre saberes, crenças, mitos e poemas sobre o mar. Pretende-se desenvolver um espaço de reflexão multi-disciplinar para uma economia sustentável do mar, incentivando a valorização dos saberes tradicionais.
Além da exposição permanente, as atividades de interação com os diversos públicos são a chave da afirmação do museu na nossa sociedade. Estas atividades constituem realizações práticas da filosofia do museu que tem como objetivo primordial o envolvimento das comunidades na edificação deste projeto museológico. As atividades realizadas até então, tiveram foco na comunidade estudantil, incentivando a investigação, a preservação e a divulgação do património cultural cabo-verdiano, conjugando sempre com a consciencialização para o exercício da cidadania e a melhoria da qualidade de vida.
 

TarifsBilheiteira
100$00 para nacionais e 200$00 para estrangeiros
Isenções: crianças até 12 anos, estudantes e idosos
Entrada livre: 18 de abril, 18 de maio e 18 de outubro

RestaurantsO Cocktail
Restaurants
• Ave 5 de Julho, Mindelo, Cape Verde
• Latitude: 16.888042 - Longitude: -24.988316
Situado entre a Praça Nova e a Rua de Lisboa, mesmo em frente ao Aparthotel Avenida, dispõe de dois ambientes, sendo um amplo e ao ar livre com uma varanda sobre uma das avenidas principais da cidade, e o outro num espaço fechado, mais abrigado. Oferece pratos diversos de peixe, carne e marisco e uma grande variedade de pizzas, com música tradicional ao vivo, aos fins de semana. Recentemente, passou a dispor de um serviço self-service aos domingos.

MonumentsPalácio do Povo / Palácio do Governo (Mérite le détour)
Monuments
• Mindelo, Cap-Vert
• Latitude: 16.886557 - Longitude: -24.986950
Media
  • Photo(s): 2
Monumento com arquitetura de estilo colonial, situado no centro histórico de Mindelo. Hoje designado por Palácio do Povo, foi o Palacete do Governo e Casa do Estado Maior. Integra também no grupo das primeiras obras públicas efetuadas na cidade. concluída em 1874 (julga-se que a construção teve inicio em 1858), inicialmente, era um edifício térreo construído na habitual expressão oitocentista das edificações públicas portuguesa. Por acharem que não era digno de ser a casa do Governador, foram feitas obras, entre 1928 e 1934 o que resultou no acréscimo de um andar, possuindo hoje um curioso pórtico com pilares de silhueta de estilo clássico de betão. A 7 de Julho de 1975, depois da Independência, o Primeiro-ministro Pedro Pires fez aí a apresentação do primeiro “Programa do Governo da República de Cabo Verde” e passou a chamar-se Palácio do Povo. O edifício esteve fechado durante muito tempo e albergou o serviço do Tribunal de S. Vicente (até 2008), para que se pudesse fazer as obras do novo Palácio da Justiça. Com o passar dos anos, o edifício ficou muito degradado e, em 2009/2010, o Presidente da República Pedro Pires mandou remodelá-lo, para que se pudesse fazer exposições e atividades culturais.
Em Janeiro de 2015, foi colocado à disposição da Câmara Municipal de São Vicente, que passou a gerir o espaço, através de um protocolo assinado com a Presidência da República.

Parcs NaturelsParque Natural de Monte Verde
Parcs Naturels
• Mindelo, Cap-Vert
• Latitude: 16.872684 - Longitude: -24.929251
Media
  • Photo(s): 3
O Parque Natural de Monte Verde possui uma área de cerca de 312 hectares e faz parte de uma cercadura montanhosa, cujos pontos culminantes são o Monte Verde e Madeiral, com cerca de 744 e 680 metros, respetivamente. A sua plataforma de topo, inclinada a NE, proporciona um meio favorável à incidência de humidade, fator responsável pela existência de um quadro paisagístico que contrasta com a aridez das restantes zonas da ilha.
Nas zonas inacessíveis do Monte Verde encontra-se uma vegetação típica constituída por Limonium Jovi-barba, Sonchus daltonii, Lobularia canariensis ssp. Fruticosa e Campylanthus glaber ssp. Sparthulata. Nas encostas íngremes e escapadas, são muito representativos os povoamentos de Furcraea foetida e Lantana camara. Nalguns locais pontuais observam-se exemplares de Sideroxylon marginata (Marmolano).
A fauna de Monte Verde é essencialmente representada por répteis e aves, caso do Falco tinnunculus e Corvus ruficolis. A Mabuya é o único representante dos répteis.
O Monte Verde constitui um importante observatório natural de referência para a prática do turismo de montanha. Do alto do Monte Verde é possível ter vistas espetaculares de toda a ilha de São Vicente e da baía do Porto Grande.
Também se tem uma vista privilegiada da majestosa ilha de Santo Antão e, do outro lado, da ilha de Santa Luzia, dos ilhéus Branco e Raso e, nos dias mais claros, da ilha de São Nicolau.

RestaurantsPastelaria Morabeza
Restaurants
• Mindelo, Cape Verde
• Latitude: 16.887756 - Longitude: -24.987041
A casa que acolhe a pastelaria foi recentemente remodelada, mantendo-se, no entanto, o estilo antigo do edifício. Sendo o proprietário um português, coloca à disposição dos clientes produtos típicos da pastelaria portuguesa, onde não podia faltar o famoso pastel de nata. Oferece, ainda, refeições ligeiras diversas. 

RestaurantsPont d'Agua
Restaurants
• Ave Marginal, Mindelo, Cape Verde
• Latitude: 16.886251 - Longitude: -24.989693
A sua localização, na Rua da Praia, encara o “Monte Cara” e tem vista panorâmica sobre uma das mais belas baías do mundo, tendo como pano de fundo as montanhas da ilha vizinha de Santo Antão.

Tornou-se uma referência incontornável da cidade do Mindelo, a par da réplica da Torre de Belém, Monumento da Antiga Praça dos Aviadores (Pósse) e da Marina de São Vicente, todos eles visíveis do bar ou da piscina do restaurante. Poderá visitar, nas proximidades, vários edifícios históricos como o da Alfândega Velha, hoje, Centro cultural do Mindelo, a Biblioteca Municipal, o Mercado Municipal e o Palácio do Povo.

O empreendimento inclui uma piscina, serviços de restaurantes, bares e estabelecimentos comerciais. 

MonumentsPraça Baltazar Lopes da Silva
Monuments
• Praça Baltazar Lopes da Silva, Mindelo, Cap-Vert
• Latitude: 16.885916 - Longitude: -24.987684
Media
  • Photo(s): 1
O Largo/Praça já teve vários nomes ao longo dos tempos: Largo da Estação, por causa da cadeia que havia no Paços do Concelho, Largo do Madeiral, por causa do edifício construído, Largo Vasco da Gama, Largo William du Bois (depois da Independência) e Mercado “Tiosco”. A primeira construção, em 1886, foi moradia da família Rendall, um dos donos da Empresa das Águas do Madeiral.

Foi levantado um muro delimitando a Praça, ergueu-se um quiosque, e tempos depois foram plantadas árvores e colocados bancos e, mais tarde, fez-se a sentina. Foi-se transformando num largo comercial, onde as pessoas vinham vender as suas mercadorias, até ser totalmente ocupado pelo comércio informal. Ergueram-se barracas de madeira e papelão e passou a ser chamado de mercado “Tiosco”, na década de oitenta. Na década de noventa esse mercado foi destruído por um incêndio e a Câmara não permitiu a sua reconstrução.
Assim livre das barracas, a Praça foi reconstruída em 1998 e inaugurada a 5 de Julho, pelas comemorações da Independência, e passou a chamar-se Praça Baltazar Lopes da Silva, fazendo assim homenagem ao professor e grande homem da cultura das ilhas..

A volta da Praça encontram-se vários edifícios, alguns em bom estado de conservação, como os edifícios do Madeiral e da Câmara Municipal. Mas também existem outras em avançado estado de degradação e que pertenceram à família Rendall, que era proprietária de toda a parte Este da Praça, com cinco casas datadas de 1890 a 1908, onde moravam diferentes membros da família.
 
Busto de Baltazar Lopes da Silva
Busto feito pelo escultor Domingos Luísa, em 1998, e colocado na Praça a altura da sua inauguração. Baltasar Lopes da Silva, pseudónimo poético Osvaldo Alcântara, nasceu na Ilha de S. Nicolau a 23 de Abril de 1907. Licenciado em Direito e Filologia Românica, pela Faculdade de Letras de Lisboa, regressou a Cabo Verde na década de 30, onde foi professor e Reitor do Liceu Gil Eanes, em São Vicente. Poeta, contista, romancista, filólogo, ensaísta, com incursões pela etnologia e sociologia, foi uma das inteligências mais vivas e cultas do Arquipélago.
Fundou, juntamente, com Manuel Lopes e Jorge Barbosa a Revista Claridade, teve colaboração dispersa por várias publicações e figurou em várias colectâneas. Da sua obra, destacam-se o romance “Chiquinho”, o livro de poemas “Cântico da Manhã Futura” e o estudo linguístico “O Dialecto Crioulo das Ilhas de Cabo Verde”. Foi advogado durante dezenas de anos, defendendo muitas vezes as pessoas, socialmente, desprotegidas.

QuartiersPraça Dom Luís
Quartiers
• Praça Dom Luís, Mindelo 2110, Cap-Vert
• Latitude: 16.885889 - Longitude: -24.989248
A Praça Dom Luiz era a praça principal da cidade do Mindelo e, foi-lhe atribuída esse nome, em 1860, para comemorar a visita, do então, Infante Dom Luiz, segundo filho da Rainha Maria II e herdeiro do trono, depois da morte do irmão mais velho Dom Pedro V.
 
Com vista para a Baía e protegida do mar, por um muro construído entre 1873 e 1875, era muito bonita e concorrida porque não havia na cidade muitos lugares de diversão. Era o ponto de encontro das pessoas de todas as idades e camadas sociais, e onde a Orquestra Sinfónica tocava todos os domingos, quintas e feriados. À volta da Praça haviam um belo jardim e postos de ferro fundido com candeeiros alimentados a acetileno e a petróleo. No centro da mesma, em 1879, fora colocado um grande candeeiro de seis bocas que, além de embelezar, iluminava a Praça.
 
Foi demolida, em 1895, após a decisão tomada, no ano anterior, de ceder o espaço à Companhia Nacional para a construção de armazéns de carvão. Esta decisão foi muito contestada pela edilidade da época, pelos comerciantes e senhores da ilha e pela população em geral. Com o declínio do mercado do carvão, na década de 60 do século XX, esses armazéns deixaram de ser usados, até que em 1975, com a independência de Cabo Verde foi criada a EMPA (Empresa Pública de Abastecimento), que passou a utilizá-los. Com o encerramento desta empresa, os armazéns ficaram novamente sem uso, até que o Sr. Hernâni Moreira, um conhecido “entertainer” da cidade decidiu, em 2001, abrir um grande e bem frequentado Pub, de nome “Porão”, que veio a encerrar em 2004, quando a Câmara Municipal decidiu demolir as construções, para reconstruir de novo, a Praça.
 
A nova Praça “Dom Luiz” foi construída, em 2005, no âmbito de uma parceria com o IPAD (Instituto Português de Apoio ao Desenvolvimento), com o intuito de permitir uma ligação mais harmoniosa, entre a cidade e o mar. Pode-se dizer que a obra ainda está por terminar, porque ficou de se fazer, posteriormente, um quiosque, plantar uma fileira de palmeiras e mandar colocar um busto com a figura de Dom Luiz.

MonumentsPraça Doutor Regala
Monuments
• Praça Doutor Regala, Mindelo, Cap-Vert
• Latitude: 16.885504 - Longitude: -24.986231
Media
  • Photo(s): 1
Construída, supõe-se, em 1941-1942 como tributo ao Doutor Regala, um grande homem, médico e militar, após a sua morte em 1937. A sua localização foi propositadamente escolhida perto do Hospital, em homenagem ao grande trabalho que fez como médico da população da ilha.

A Praça foi remodelada nos anos noventa do século passado, pela Câmara Municipal e pelo seu Presidente Onésimo Silveira que mandou remodelar todas as praças da ilha.
 
Busto de Dr. Regala
Datada de 1941 foi erigido por subscrição pública lançada por uma comissão presidida pelo Dr. Baltazar Lopes da Silva. O Dr. Francisco Augusto da Fonseca Regala nasceu em Aveiro, a 7 de Abril de 1871, onde foi reitor do Liceu, inscrevendo-se na sua história como muito devotado ao cumprimento dos seus deveres, contribuindo noutras áreas, como na organização dos serviços das pescas em Portugal.

O Dr. Regala veio para Cabo Verde por imposição de serviço, para exercer funções de médico-tenente do Exército. Passou a viver definitivamente em São Vicente, onde constituiu família e onde morreu, no dia 11 de Abril de 1937, com 66 anos. Repartiu a sua atividade médica entre Cabo Verde e a Guiné Bissau, mas em São Vicente prestou serviços inestimáveis. O ponto culminante foi quando a peste bubónica flagelou São Vicente, entre 1920 e 1921, o porto foi interdito à navegação e o Liceu Infante D. Henrique fechou a suas portas.

O Dr. Regala assumiu a responsabilidade e não se poupou a esforços até vencer a batalha contra a peste bubónica. A cidade do Mindelo rendeu-lhe várias homenagens, sendo a mais notável a do dia 3 de Outubro de 1931, em que lhe foi atribuido  o Colar de Santiago e a respetiva Roseta, pelo governo Cantral. O Dr. Regala morreu quinze dias depois do falecimento do seu filho Mário, que muito o abalou. Após o enterro, lançou-se a ideia de uma subscrição pública para perpetuar a sua memória num monumento evocativo, criando-se a "Comissão Pró Monumento ao Dr. Regala" logo a 1 de Maio seguinte, cujo presidente foi o Dr. Baltasar Lopes da Silva. O busto lá está, de face voltada para o poente, na praceta que tem o seu nome.

MonumentsPraça Estrela (Mérite le détour)
Monuments
• Praça Estrela, Mindelo, Cap-Vert
• Latitude: 16.883646 - Longitude: -24.989157
Media
  • Photo(s): 3
O primeiro nome do largo foi Salinas, isto porque um comandante quis lá fazer exploração de uma salina em toda a área. Na década de cinquenta do século XIX funcionou como cemitério onde foram sepultadas as vítimas do surto de cólera, que assolou a ilha, sendo uma delas o primeiro Cônsul Inglês, John Rendall, que faleceu a 30 de Novembro de 1854.

Em 1880, por questões de saúde pública, foi exigido secar o pântano do subsolo e foi nesta altura que se transformou o local em Campo Desportivo para jogos de Cricket e Futebol, função que durou cerca de cinquenta anos. O largo ficou abandonado com a construção do Estádio de futebol da Fontinha em 1929-1930, mas acabou por ganhar nova vida com o movimento SOCOL, que veio ocupar o edifício que fica nas traseiras da ex-esquadra da POP e ao lado do Mercado de Verduras.

A praça foi construída em 1940 e foi nela construída um coreto e um obelisco em honra dos desportistas Mindelenses. Ficou popularmente conhecida por Praça Estrela devido aos canteiros de plantas com formato de estrelas. Mas o nome oficial era Largo Almirante Reis, mas em 1975 passou a chamar-se Praça da Independência. Para a comemoração do centenário da Cidade do Mindelo, a Praça foi ocupada por uma feira popular (1979-1980).

Em 1999 a Praça foi reconstruída e desta vez metade foi destinada a um mercado para albergar os comerciantes do antigo Mercado “Tiosco” e os comerciantes ambulantes vindos da Costa Ocidental de África e a outra metade continuou como uma Praça com um quiosque, um coreto e espaços cobertos que hoje em dia está completamente ocupado pelas vendedeiras de verduras e por comerciantes de roupa. Nas paredes dos atuais barracas de vendedores da Praça foram colocadas pinturas em azulejos alusivos à história do Mindelo.

MonumentsPraça Jose Lopes da Silva
Monuments
• Praça José Lopes da Silva, Ave Baltazar Lopes da Silva, Mindelo, Cap-Vert
• Latitude: 16.890051 - Longitude: -24.986238
Construída nos anos noventa do século passado para homenagear aquele que foi um grande professor e Poeta Cabo-verdiano. Nasceu em São Nicolau, a 15 de Janeiro de 1872, e morreu em São Vicente a 02 de Setembro de 1962. José Lopes da Silva aprendeu a ler com o cónego Machado e estudou no Seminário-Liceu, cujo curso completou.

Foi também um autodidata que aprendeu a dominar a língua Inglesa. Sendo órfão de pai, teve que trabalhar desde cedo e passou pelas ilhas de Santiago e São Vicente como polícia, mas depois foi viver para Boa Vista onde se casou. Foi transferido para a Escola Principal da Vila de Ponta de Sol, ilha de Santo Antão onde viveu por 28 anos (1900-1928), e tinha uma escola particular do ensino das línguas francesa, inglesa, História e Geografia, que era subsidiada pelo governo.

Foi por três anos (1928-1931), professor do Liceu Infante Dom Henrique, na ilha de S. Vicente, onde se reformou e passou a viver. Foi agente consular do Brasil e da França e possuía condecorações nacionais e estrangeiras como a comenda da Ordem do Infante Dom Henrique, em 1962. A medalha da Legião de Honra da França foi-lhe conferida pelo General de Gaulle (pelo seu soneto "La France", escrito durante o período da Resistência na IIª Guerra Mundial). 

Foi elevado ao grau de Pupilo do Império Japonês pelo imperador Hiro-Hito (pelo seu poema heróico em louvor do Japão, a propósito da guerra russo-japonesa em 1905). O seu poema "Helvétia" foi declarado património da Suíça. Por Decreto Presidencial N.º 3/95, de 2 de Fevereiro, foi agraciado, a título póstumo, pelo Presidente da República de Cabo Verde, Dr. António Mascarenhas Monteiro, com o Segundo Grau da Ordem do Dragoeiro e a Primeira Classe da Medalha de Mérito. A Praça foi construída perto da casa que residiu.

QuartiersPraça Nhô Roque - António Aurélio Gonçalves
Quartiers
• Parque Nhô Roque, Ave Marginal, Mindelo, Cap-Vert
• Latitude: 16.887962 - Longitude: -24.989042
Antigo Largo do Retimar e, atual Praça "Nhô Roque". Nesse lote, antigamente, encontravam-se os depósitos de carvão da Miller & Cory que deixaram de existir, nos anos setenta do século XX, dando lugar aos prédios que estão de frente para a Avenida 5 de Julho e para a Rua Sena Barcelos.

Nas traseiras desses prédios ficou um largo que, entre 1983 e 1986, esteve reservado pela Câmara Municipal, a pedido da Direção Geral de Turismo e Artesanato, para a construção de um Hotel considerado de suma importância para a Avenida. Mais tarde, veio dar lugar a uma placa desportiva e jardins que, nos anos noventa passou a chamar-se, oficialmente, de Praça “Nhô Roque”, em homenagem ao António Aurélio Gonçalves, Intelectual e Escritor Cabo-verdiano, conhecido por “Nhô Roque”.
 
Em 2013, a Câmara Municipal, em parceria com investidores Belgas do Talboom Group, reabilitou a Praça e construíram o Parque Infantil Municipal de São Vicente, que se destina a crianças dos 0 aos 13 anos de idade.

António Aurélio da Silva Gonçalves nasceu em S. Vicente a 25 de setembro de 1901 e, partilhou a sua infância entre S. Vicente e Santo Antão, tendo frequentado, também, o Seminário-Liceu de S. Nicolau, onde completou os estudos preparatórios.

Seguiu para Lisboa, em 1917, onde permaneceu por um período de 22 anos, tendo-se formado, finalmente, em Ciências Histórico-Filosóficas, na Faculdade de Letras, iniciando o seu percurso literário. Em 1939 regressou definitivamente a Cabo Verde, onde permaneceu até a sua morte, vítima de atropelamento, a 30 de setembro de 1984. Em S. Vicente, António Aurélio Gonçalves, foi exímio professor no Liceu e na Escola Industria e comercial do Mindelo. Nos últimos anos da sua vida, deu preciosa colaboração à cadeira de literatura cabo-verdiana, do Curso de Formação de Professores do Ensino Secundário. A sua originalidade como escritor está na sua arte de narrar, graças às condições da sua formação intelectual e literária, durante os seus longos anos, em Lisboa, pois nas suas obras exibe traços deterministas à maneira do realismo-naturalismo novecentistas, o que o torna um dos escritores cabo-verdianos mais realizados.

A casa onde viveu que pertencia a seu pai, foi comprada alguns anos atrás, está fechada, por não haver consenso entre a Câmara Municipal  e o proprietário, sobre o projeto a ser feito, pois essa instituição defende que o edifício não pode ser modificado, mas sim preservado.

MonumentsPraça Nova - Praça Amilcar Cabral
Monuments
• Praça Amilcar Cabral, Mindelo, Cap-Vert
• Latitude: 16.889715 - Longitude: -24.987852
Media
  • Photo(s): 3
Por decreto lei de 1891 a Praça Dom Luiz foi cedida para a construção dos depósitos de Carvão e, em compensação construiu-se a Praça Serpa Pinto em 1895. Muito controversa a construção dessa Praça e por esse motivo, por a considerarem muito longe, não era muito usada e passou a ser chamada pelo povo de Praça Nova, porque veio substituir a velha. Mudou-se-lhe o nome depois da Independência em 1975 para Praça Amílcar Cabral, mas o povo continua a chamar-lhe Praça Nova. Desde a sua construção tem sofrido várias modificações, começando pela década de vinte do século passado, onde o coreto foi reconstruído, reutilizando a cobertura do velho coreto. Ao mesmo tempo foram feitos trabalhos de jardinagem dotando-a de maiores e melhores jardins.
Na sua área envolvente encontram-se os seguintes edifícios:
• Hotel Porto Grande (1966-1968)
• Ex-Cinema Éden Park (1922)
• Centro Nacional de Artesanato e Design
• Igreja Adventista do Sétimo Dia
• Seguradora Impar (1992)
• Hotel/restaurante Praça 3 
• CVTelecom
 
Busto de Sá Bandeira
O Marquês de Sá da Bandeira foi um político, Ministro e Primeiro Ministro de Portugal no século XIX. Foi e continua a ser um homem importante para Cabo Verde e África, por ter abolido a escravatura nas colónias Portuguesas.
Em 1838, mudou o nome da nossa cidade de Vila Leopoldina para Mindelo, em memória do Desembarque do Mindelo, designação dada ao desembarque das tropas liberais a Norte do Porto, a 8 de Julho de 1832, durante as Guerras Liberais, nome pela qual ficou conhecida a Guerra Civil Portuguesa (1828-1834). Em sua homenagem foi mandado fazer um busto e colocado nessa Praça.
 
Busto de Luíz Camões
Luís de Camões (1524-1580) foi o poeta português autor do poema "Os Lusíadas", uma das obras mais importantes da literatura portuguesa, que celebra os feitos marítimos e guerreiros de Portugal. É o maior representante do Classicismo português. Foi colocado o seu busto na Praça Nova ao lado oposto do de Sá de Bandeira.

MonumentsPracinha da Doutora Maria Francisca (Intéressant)
Monuments
Praça dos namorados
• Praça dos namorados, Mindelo, Cap-Vert
• Latitude: 16.889347 - Longitude: -24.989197
Media
  • Photo(s): 1
Na década de cinquenta, decorrente do Gabinete de Urbanização Colonial, que tinha por responsável o arquiteto João Aguiar, e a relação direta com os Serviços Técnicos da Câmara Municipal do Mindelo, foi construída a Pracinha Doutora Maria Francisca.

Esta pracinha, hoje mais conhecida por Pracinha dos Namorados, fica na adjacência da Casa da Doutora Maria Francisca no bairro de Alto São Nicolau. A casa que já serviu como sede da PIDE (a polícia política do regime do ditador português Salazar) e mais tarde como Sindicato, encontra-se tão degradada quanto a pracinha em frente que ainda se encontra como foi construída, com os seus bancos de cimento. Ficou conhecida como Pracinha dos Namorados, por ter sido nos anos sessenta, o local preferido dos casais de namorados que lá iam passear e namorar.

A doutora Maria Francisca foi a primeira mulher cabo-verdiana a conseguir uma licenciatura em Medicina, sendo ela a mentora do “Dispensário”, serviços de consulta e cuidados materno/infantil.

MonumentsPracinha da Igreja (Mérite le détour)
Monuments
• Rua da Luz, Mindelo, Cap-Vert
• Latitude: 16.885727 - Longitude: -24.988144
Media
  • Photo(s): 1
É o largo mais antigo do Mindelo e já consta dos dois mapas dos limites urbanos da cidade de 1820 e de 1858, onde se pode ver também que a cidade era constituída somente por quatro ruas, quatro travessas e dois largos. Foi calcetado em 1876, juntamente com a Rua Governador Calheiros, que ligava o largo à Praça Dom Luiz, a praça principal da época.
Tinha o nome de Largo dos Paços do Concelho por causa da sua localização, depois mudou-se para Praça da República, com a instauração da República em Portugal e depois da independência, Praça Pidjiguiti. Para além de todos esses nomes, sempre foi popularmente conhecido por Pracinha da Igreja, por estar à frente da Igreja Matriz. Juntamente com os outros edifícios do largo, fez-se um conjunto fundacional da cidade, incluindo os Paços do Concelho, com um frontão clássico e torre de relógio e a Igreja de Nossa Senhora da Luz. A maior parte das casas que se encontram à volta da Praça eram propriedades da família Serradas, antes da Independência, e foram depois vendidas a diversas pessoas.

MonumentsPracinha dos Antigos Alunos do Liceu Gil Anes (Intéressant)
Monuments
• Mindelo, Cap-Vert
• Latitude: 16.886484 - Longitude: -24.986115
Media
  • Photo(s): 2
A primeira construção feita no terreno em 1871-1873, conjuntamente com a do edifício à sua frente, destinado a ser Quartel Militar era chamado Largo da Parada.

A história da Praça desenrola-se ao mesmo tempo com a do edifício. Em 1921, quando o edifício foi transformado em Liceu, os muros que delimitavam o Largo foram demolidos e passou a chamar-se Largo do Liceu e, mais tarde Pracinha do Correio, durante o tempo que os Correios funcionaram em frente.

Quando a Praça foi construída em 1964, foi batizada de Praça Dr. Duarte Silva e tinha um busto deste, que foi um dos reitores do Liceu. Depois da independência, passa a chamar- se Praça Zimbabwe, tendo sido remodelada e o busto do Dr. Adriano Duarte Silva foi retirado. Em 1988-1989 foram feitas obras profundas na praça, onde ganhou o Bloco que lá esta hoje e o busto foi recolocado no seu lugar.

PlagesPraia da Fateja
Plages
• Mindelo, Cap-Vert
• Latitude: 16.865868 - Longitude: -25.055981
Media
  • Photo(s): 2
Praia da Fateja fica localizada atrás do Monte Cara. É maioritariamente rochosa, com um areal que aparece somente em alguns meses do ano. É uma bela praia, um sítio magnífico, com belezas naturais que proporcionam uma paisagem descontraída e uma piscina natural para um mergulho após a caminhada. Não há estrada de acesso de carro e só pode ser alcançada subindo o Monte Cara a pé, ou, em alternativa, por via marítima em barcos de recreio ou bote de pesca. Não possui nenhuma infraestrutura por causa do seu difícil acesso e de não ser muito frequentada.

PlagesPraia da Laginha (Mérite le détour)
Plages
• Mindelo, Cap-Vert
• Latitude: 16.894861 - Longitude: -24.992378
Media
  • Photo(s): 2
A praia da Laginha é uma bela praia de areia branca e de um azul penetrante que fica situada mesmo na cidade do Mindelo. Trata-se de um grande atrativo para a cidade. A sua marginal convida os moradores e visitantes, principalmente, de manhazinha e ao final da tarde, a passeios e caminhadas, que poderão ser completados com exercícios nas “máquinas de Fitness” colocadas na praia, e no parque de ginástica, construído há já alguns anos, com máquinas diversas que estão ao dispor da população.
 
Em 2013, foi alvo de uma grande intervenção, aumentando substancialmente a área do areal e a capacidade para receber um número maior de pessoas, com áreas reservadas para os banhistas e prática de desportos diversos.  A praia é vigiada e de fácil acesso, tanto de carro como a pé, e na zona encontramos vários bares e restaurantes, onde se pode saborear pratos tipicos de peixes e mariscos, com música ao vivo, quase todos os dias, principalmente no verão.  

PlagesPraia de Flamengo (Mérite le détour)
Plages
• Mindelo, Cap-Vert
• Latitude: 16.806616 - Longitude: -25.046087
A Praia de Flamengo - pouco frequentada que fica no extremo de um vale paralelo ao de São Pedro, com uma montanha a separá-los mas com acessos diferentes. Chega-se ao vale de Flamengo numa estrada de terra que não é difícil de se alcançar, depois de se sair da estrada de São Pedro à esquerda, na zona do parque eólico. Com água cristalina e areia fina é muito convidativa ao banho. O mar tem ondas, porém não é muito frequentada pelos amantes de prática de desportos de ondas. A praia não é vigiada.
Em junho de 2006 a Nato realizou um exercício militar em Cabo Verde, com o nome NATO Steadfast Jaguar 2006. O exercício foi o primeiro da NATO num país africano e destinou-se a treinar a NRF (Força de Reacção da NATO), a Praia do Flamento acolheu a simulaçao  de um desembarque anfíbio.

PlagesPraia de Palha Carga (Mérite le détour)
Plages
• Mindelo, Cap-Vert
• Latitude: 16.791805 - Longitude: -24.948669
Media
  • Photo(s): 1
Praia de Palha Carga. É uma linda praia que se alcança após percorrer o igualmente bonito vale de Palha Carga, ladeada por montes de bonitos recortes. A praia tem uma grande extensão de areia branca e preta e um mar azul que só é recomendável a bons nadadores por causa das ondas, das correntes e por falta de nadadores-salvadores. A praia é desabitada e isolada mas apresenta-se em bom estado. de fácil acesso. O acesso necessita ser sinalizado, tornando-se difícil de encontrar se não se conhece o caminho. Há uma pequena estrutura que foi feita há muito tempo que serve de abrigo aos pescadores e aos  pastores de cabras quem vem da localidade de Ribeira de Calhau e Madeiral. Também há um poço de água salobra que servia aos mesmos mas que já não tem água.

Espaces NaturelsPraia de São Pedro
Espaces Naturels
• Mindelo, Cap-Vert
• Latitude: 16.827915 - Longitude: -25.063490
Media
  • Photo(s): 2
São Pedro é uma aldeia piscatória pequena e pitoresca, com casas coloridas, e fica a 7 km a Sudoeste da cidade do Mindelo. A nordeste da aldeia localiza-se o Aeroporto Internacional “Cesária Évora”, antigamente designado por aeroporto de S. Pedro. O vale de São Pedro desemboca numa bela praia de areias brancas e águas turquesas, na baía homónima onde se situa a aldeia do lado esquerdo de quem vem do Mindelo.
No lado direito do vale existe a zona de Santo André, com uma capela com o nome do santo, que há alguns anos foi circunscrita por alguns empreendimentos turísticos e residências.
A Oeste, no local denominado Santo André, está uma moderna unidade hoteleira, que dispõe de quartos, apartamentos e vilas, chamada Foya Branca. Outro aldeamento turístico, São Pedro Village, esta em construção há já alguns anos. A 2 km, mais para Oeste, fica o farol de D. Amélia. Na zona de São Pedro está incluída parte do complexo montanhoso, do qual o Monte Cara faz parte, incluindo o ponto mais alto desse conjunto (o pico de Fateja, com 571 m).
A praia de São Pedro é uma extensa praia de águas azuis turquesas, considerada uma das melhores para a prática do surf, windsurf e bodyboard, sendo por isso, eleita por muitos campeões mundiais para a prática dessas modalidades. Porém, não recomendável a natação, por causa da sua forte arrebentação, que é, particularmente, forte nos meses de Verão. Dessa arrebentação forma uma lindíssima lagoa à frente da praia, que poderá ser utilizada para se refrescar, principalmente, pelas crianças, ou mesmo adultos que não queiram se aventurar no mar, pelas razões atrás expostas. Infelizmente, a lagoa não é permanente, dependente da época do ano. A paisagem é árida e majestosa, devido às suas ondas fortes, ventos constantes e marés vivas.

PlagesPraia de São Pedro (Mérite le détour)
Plages
• Mindelo, Cap-Vert
• Latitude: 16.827463 - Longitude: -25.065079
Media
  • Photo(s): 2
A praia de São Pedro é uma extensa praia de águas azuis turquesas, considerada uma das melhores para a prática do surf, windsurf e bodyboard, sendo por isso, eleita por muitos campeões mundiais para a prática dessas modalidades. Porém, não recomendável a natação, por causa da sua forte arrebentação, que é, particularmente, forte nos meses de Verão. Dessa arrebentação forma uma lindíssima lagoa à frente da praia, que poderá ser utilizada para se refrescar, principalmente, pelas crianças, ou mesmo adultos que não queiram se aventurar no mar, pelas razões atrás expostas. Infelizmente, a lagoa não é permanente, dependente da época do ano. A paisagem é árida e majestosa, devido às suas ondas fortes, ventos constantes e marés vivas.

PlagesPraia de Saragarça (Mérite le détour)
Plages
• Mindelo, Cap-Vert
• Latitude: 16.813971 - Longitude: -24.865414
Media
  • Photo(s): 4
Fica no sul da ilha e juntamente com Sandy Beach e Tupim faz um conjunto de praias que são a menina dos olhos dos amantes de surf, windsurf, bodyboard e kitesurf. Apresenta as mesmas condições que  Sandy Beach e Tupim.

PlagesPraia do Tupim (Mérite le détour)
Plages
• Mindelo, Cap-Vert
• Latitude: 16.812265 - Longitude: -24.869276
Media
  • Photo(s): 1
Situa-se mesmo ao lado da praia de Sandy Beach, com as mesmas condições e usa-se a mesma estrada de acesso, mas com muito menos areia. Maioritariamente frequentada pelos amantes de desportos de ondas, nomeadamente surf e bodyboard.

PlagesPraias da Gale e Lazareto
Plages
• Mindelo, Cap-Vert
• Latitude: 16.874369 - Longitude: -25.011284
Media
  • Photo(s): 1
As Praias da Gale e Lazareto pertencem ao conjunto de praias que fazem parte da Baía do Porto Grande e que têm ao fundo o Monte Cara. Formam um conjunto contíguo e extenso de areia branca que serve aos banhistas que as frequentam, principalmente no verão. Parte da praia da Galé fica mesmo em frente à instalação de armazenamento de combustíveis da Vivo Energy (ex-Shell) e é por onde passa as condutas de abastecimento. Na zona do Lazareto foi feita uma placa desportiva e de atividades recreativas que permitem a prática de desportos variados, destacando o “Lazareto Games” realizado anualmente no verão. Com a construção da ciclovia ao longo das praias, o acesso ficou mais fácil e agradável para caminhadas matinais e no final da tarde.
 

HôtelsPrassa 3
Hôtels
• Praça Amilcar Cabral (ex. Praça Nova), 3, Mindelo 1546, Cape Verde
• Latitude: 16.889547 - Longitude: -24.988338
Situado em frente a mítica "Praça Nova" - Praça Amílcar Cabral, o “Prassa 3” é um espaço requintado, com uma decoração sofisticada e moderna. O hotel é composto por oito suites single e uma suite master. O Bar e restaurante do Hotel, abertos ao público, oferecem serviço de tapas e "a la carte", respetivamente. Habitualmente, às sextas-feiras, o bar conta com música ao vivo.

MonumentsRéplica da Torre de Belém (Mérite le détour)
Monuments
• Mindelo, Cap-Vert
• Latitude: 16.884411 - Longitude: -24.990072
Media
  • Photo(s): 1
Foi construída a imitar a Torre de Belém de Lisboa, junto ao mar, numa torre de três pisos de base quadrada, em alvenaria de tijolo e de pedra e cal, e com um observatório na cobertura. É decorada com símbolos manuelinos, torres de vigia e ameias em massa.
Está inserida num conjunto murado que, na parte voltada para a Rua da Praia, apresenta também características do estilo manuelino e no interior, existe um pátio, coberto por telheiros.
A torre foi construída entre 1918 e 1921, mas a parte dos anexos (zona baixa contígua ao Mercado de Peixe), só ficou concluída em 1937, servindo as mesmas de moradia para o Capitão-mor.
O edifício foi construído para albergar a sede da Capitania dos Portos que lá funcionou até 1967 aquando da construção do novo edifício na Avenida Marginal. A Torre de Mindelo apresenta uma simbólica estrutura dos descobrimentos ou implicações religiosas que marcaram a época.
Em 1997, após anos de abandono e degradação, foi assinado um acordo entre os governos português e cabo-verdiano para o restauro do edifício. A recuperação foi feita em duas fases, abrangendo primeiramente a Torre (2001-2002) que se encontrava em ruinas, e posteriormente incidindo sobre a zona envolvente - anexos, muros exteriores, telheiros, etc. Com a restauração, a Torre foi aberta como museu contendo uma exposição constituída por telas com a história da urbanização das ilhas de Cabo Verde, com um piso dedicado a São Vicente.
Em 2013 foi anunciado que o edifício iria ser transformado em Museu do Mar o que acabou por acontecer, tendo sido inaugurado a 12 de Abril de 2014

RestaurantsRestaurante Tapas
Restaurants
• rue camoes 2, Mindelo 2110, Cape Verde
• Latitude: 16.892380 - Longitude: -24.984648
Surgido em 2010, o Restaurante Tapas importou e implantou, com sucesso, o conceito de “fast food de qualidade”. Com um serviço à base de pratos de rápida conceção, mas saudáveis, a ementa é criativa e diversificada. O cliente poderá petiscar desde o prato da casa, batatas assadas com molho tomate, ao atum com molho japonês. No entanto, qualquer dos pratos de mariscos “a moda do Tapas” é também uma boa opção.
 
Oferece, ainda, Tapas light, como saladas diversas, couscous, carpaccio, pão de alho, carne hot, chourição, almôndegas, nems, espetada de frango e de peixes. Apresenta, ainda, uma grande variedade de sobremesas.

Espaces NaturelsRibeira e Baía do Calhau (Mérite le détour)
Espaces Naturels
• Mindelo, Cap-Vert
• Latitude: 16.853916 - Longitude: -24.864706
Media
  • Photo(s): 2
A Ribeira de Calhau fica situada no extremo Este da ilha de São Vicente. O vale, que possui várias pequenas propriedades agrícolas de pequenos produtores, desemboca na baía do Calhau, onde existe uma aldeia piscatória com o mesmo nome, hoje circundada por várias casas de veraneio.
 
A Baía do Calhau fica em frente à ilha deserta de Santa Luzia que, nos dias de boa visibilidade, pode ser vista com clareza, e entre a Praia Grande e Saragarça. Apenas a 20 minutos do centro da cidade, a mesma é ideal para a prática de surf e pesca e é habitual, ver turistas e habitantes do Mindelo à espera dos pescadores que vêm directamente da ilha de Santa Luzia com os seus pescados, para fazer fotos e também comprar peixes. Serve a pequena aldeia piscatória existente na região, tem uma praia e um pequeno porto de pesca na baía homónima.
 
A 4 km para Sul de Calhau fica a cratera do vulcão de Viana e a Norte do povoado se encontram outros cones de vulcões, todos extintos. Há uma piscina natural que fica mesmo ao pé do vulcão que já teve intervenção humana para melhor servir os banhistas. A praia é de fácil acesso e pode ser visitada de carro ou a pé se hospedado, sendo o transporte de pessoas regular e feito por carrinhas privados. Na vila, encontramos bares e restaurantes.
 

QuartiersRua da Praia
Quartiers
• Rua da Praia, Mindelo, Cap-Vert
• Latitude: 16.884802 - Longitude: -24.989677
Media
  • Photo(s): 2
Anteriormente Rua do Tenente Valadim, Rua Marginal e Rua da República, é uma rua de grande história para a ilha de São Vicente e para Cabo Verde.

Era a rua de desembarque do pessoal dos navios, tropas, comerciantes, cargas e carvão e, também, das companhias de carvão, a Sul Cory Brothers e a Norte Miller. Fazia, também, parte do espaço, a Praça Dom Luiz que depois deu lugar aos armazéns de carvão e, finalmente, em 2005, esta Praça retorna à rua.

Funcionava nessa rua todo o tipo de comércio e de atividades ligadas ao Porto, pelo que se encontravam os seguintes profissionais: pescadores, catraieiros, estivadores, comerciantes de bordo (ship-chandelers), mergulhadores, trabalhadores de carvão e os “rossegadores” (que praticavam a “rosséga”, apanha de moluscos no fundo do mar).

A rua ficou bastante descaracterizada com a construção dos quintalões para depósito do carvão e os pontões da Companhia de São Vicente de Cabo Verde. Com o intuito de tornar a vista mais atrativa aos viajantes que aportavam na ilha e, coincidente, com a paragem de Gago Coutinho e Sacadura Cabral na ilha, na primeira travessia aérea do Atlântico Sul, foi erigido um monumento com uma águia de pedra assinalando esse feito e, construída uma pequena praça, uma esplanada e uma varanda à frente da Alfândega velha que, posteriormente, foi chamada de Esplanada dos Aviadores. No outro extremo da rua foi construída a nova Capitania, a Réplica da Torre de Belém e o Mercado de Peixe.
A rua encontra-se reabilitada e com novas construções. De se destacar o moderno empreendimento Pont d’Água, a reabilitação do antigo cais com uma marina moderna e a reconstrução da Praça Dom Luiz.  

Os edifícios dessa rua que pertenciam às companhias Wilson, Sons & Co. e Cory Brothers, ainda mantêm parte do seu carácter antigo e original. 

De se destacar, alguns dos edifícios mais emblemáticos da rua, no sentido Sul-Norte, de quem entra na cidade, vindo do aeroporto:
•  Sede da ENACOL (Empresa Nacional de Combustíveis) - faz parte da atual instalação de armazenamento de combustíveis dessa empresa, que herdou os antigos depósitos de combustível da Millers and Cory’s;
•  Matadouro Velho - construído em 1938-1939, funcionou até ao início dos anos noventa;
•  Ex-edifício da Polícia de Ordem Pública (POP) - construído nos finais do século XIX, pela Millers & Cory que, depois, o passou a SOCOL em 1933-1934. Esteve abandonado durante alguns anos até que foi ocupado pela tropa depois da Segunda Guerra Mundial e, logo depois se tornou a Esquadra da Polícia, tendo os Serviços do Corpo de Intervenção de São Vicente permanecido no local até 2006, quando foram transferidos para um novo espaço, adjacente ao Comando Regional da POP. Atualmente funciona no edifício, a “Quintal das Artes”.
•  Quintal da Vascônia, Ferro & Cª e INDP (Instituto Nacional de Desenvolvimento das Pescas) - edifício inicialmente pertencente à Corys Brother´s e, mais tarde, à Ferro & Companhia das Águas do Tarrafal (1919). Ficou conhecido como Vascônia por causa de um barco com esse nome que, no século XIX pegou fogo na baía do Porto Grande e os objetos que se conseguiu retirar foram arrumados nos quintalões da empresa. Nos anos noventa, chegou a funcionar uma parte do INDP, por poucos anos;
•  Bar Tubarão - pequeno edifício privado, que tem funcionado como bar, há muito tempo;
•  Casa Santos & Vasconcelos - edifício do século XVIII privado, onde funcionou a Capitania dos Portos (até a construção da Réplica da Torre de Belém) e a Escola de Pilotagem. Em 1900 foi comprado pela Companhia Wilson, Sons & Co. à Sra. Maria de Rosário Leitão da Pereira que, anos depois, o vendeu ao Sr. Mateus Santos. Em 1976, os senhores Mateus Santos e João Vasconcelos (seu sobrinho) abriram o estabelecimento comercial que, ainda, está a funcionar, conhecido por Casa Vasconcelos;
•   Casa Figueira - já existia uma casa comercial nesse lote de terreno, em 1870, que depois foi vendida à Companhia Wilson, Sons & Co., em 1900. Foi comprada pelo Sr. Figueira (ship-chandeler), em 1915, que a transformou, de novo, em casa comercial. Atualmente, é o atelier Tchalê Figueira, famoso pintor Cabo-verdiano;
•  Mar Mimoso - antiga casa e comércio de Mário Duarte Lopes que a comprou à Companhia Wilson, tendo construído o primeiro andar, nos anos cinquenta do século passado. Pertence, hoje, ao Sr. Santos que comprou todo o estabelecimento e o transformou num moderno minimercado, mantendo, contudo, o nome inicial “Mário Mimoso”, que os mindelenses pronunciam “Mar Mimoso”, em crioulo;
•  Barbearia/Loja - antiga propriedade da Companhia de São Vicente/Cabo Verde que já o tinha adquirido à Companhia Manuel Gomes Madeira & Filha, tendo somente o rés-do-chão (Barbearia) e um quintal. Em 1935, aquela Companhia fez a construção que lá está e, depois vendeu-a a um dos últimos ship-chandeler da cidade, cujos estabelecimento e armazém estão a funcionar no espaço. Há mais de 50 anos, funciona no edifício a Barbearia “Benfica”, que se diz ser a Barbearia mais antiga da cidade, pertencente à Sr.ª Albertina J. Cardoso. Funciona ao lado, a loja da Sra. Maria da Luz que vive no primeiro andar desde 1967;
•  Estação de serviço da Vivo Energy/Clube Mindelense/Casa da Morna/ Restaurante Grills - prédio relativamente novo, onde eram os armazéns e escritórios da Companhia Lopes & Madeira, hoje, um ponto de referência da ilha e para os turistas;
•   Seguem-se várias casas particulares com bares, cafés, restaurantes e lojas, antigamente conhecida por Zona Madeira pertencente à Firma Madeira (1865), onde funcionavam os seus escritórios e armazéns; 
•   Agência Nacional de Viagem, Supermercado Fragata - inicialmente pertencente à Companhia Cory Brothers (1875) que o recebeu do Sr. Zangury, o primeiro representante da Cory Brothers em São Vicente. Nesse edifício funcionaram os escritórios da Millers and Cory’s até o ano de 1979, data de encerramento desta Companhia, tendo o edifício passado para a posse do Governo de Cabo Verde, o qual instalou a Agência Nacional de Viagens, empresa pública que viria a ser privatizada nos anos noventa, tendo sido adquirida pelos próprios trabalhadores;
•  Praça Dom Luiz (quintalões da Companhia de S.V. de Cabo Verde, EMPA) - foi demolida em 1895, tendo sido construídos os quintalões onde se armazenava o carvão usado para abastecer os navios no Porto Grande; após a decadência da era do carvão foram transformados em armazéns da EMPA (Empresa Pública de Abastecimento). Estiveram desocupados durante algum tempo até funcionar aí o Pub Porão (2001-2004). Em 2005, a Câmara Municipal ordenou a sua demolição e a reconstrução da Praça Dom Luiz;
•  Biblioteca Municipal/Alliance Française do Mindelo (já descrita);
Do outro lado da rua (lado do mar) e no sentido norte-sul, existem os seguintes edifícios e/ou empreendimentos: 
•  Pont D’Água - complexo turístico inaugurado em 2009, investimento do casal Vera e Eddie Bull, oferece vários serviços, incluindo bares, restaurantes, lojas, piscina, parque infantil e esplanada;
•  Bombas de combustível da Vivo Energy (ex-Shell);
•  Praceta do Navegador - construída em 1998 e restaurada, conjuntamente, com a da Torre de Belém, é constituída pela estátua de Diogo Afonso e por mesas e bancos, com uma cobertura, onde os pescadores passam os seus tempos de lazer, jogando às cartas, uril, etc;
•  Réplica da Torre de Belém, Capitania dos Portos (já descrita);
•  Mercado de peixe - construído durante o período de 1926-1928, junto ao mar onde se possibilitava o descarregamento do pescado, no pequeno cais; nos anos noventa, sofreu obras de requalificação e embelezamento.  É muito visitado pelos turistas, pela diversidade de peixes e pelo folclore das vendedeiras e dos tratadores de peixe, durante as respetivas fainas;
•  Sentina Municipal, Caizinho (1929-1930) - lugar onde existia o esgoto a céu aberto e onde as mulheres (pagas para esse serviço) descarregavam as latas, contendo os dejetos domésticos da cidade. Atualmente, funciona no local uma estação de bombagem de águas residuais. A nova Sentina veio a ser feita, nesse lugar, aquando da remodelação do Mercado, aproveitando todas as condições de saneamento que já lá existiam.

QuartiersRua de Lisboa
Quartiers
• Rua de Lisboa, Mindelo, Cap-Vert
• Latitude: 16.886600 - Longitude: -24.987726
Media
  • Photo(s): 2
Rua de Lisboa, principal rua da cidade, que ligava a Alfândega Velha e o Comando Militar (atual Palácio do Povo), já teve vários nomes, que refletem as mudanças políticas na ilha. Antes da República: Rua dos Navegadores e Rua Dom Carlos (1895); antes da Independência: Rua de Lisboa (1910) e Rua Roberto Duarte Silva (1938); depois da Independência: Rua Libertadores de África (1975) e, posteriormente, Rua de Lisboa (por imposição popular).
 
Começou a tomar características de uma rua principal só depois da Primeira Guerra Mundial. Antes era ocupada, maioritariamente, por alpendres, casebres e oficinas e, somente se tornou o que é, hoje, depois da Segunda Guerra Mundial. Foi sempre uma rua de negócios e comércio, mas com poucos moradores, o que se verifica até hoje. É a rua dos grandes acontecimentos, dos atos de abertura e de encerramento de campanhas eleitorais, local de bancadas “VIP” para os ilustres da ilha e do Governo, aquando dos desfiles de Carnaval e, de concertos na passagem de Ano. Nesta rua, encontra-se de tudo, desde instituição bancária, drogarias, lojas, bares, cafés, restaurantes, farmácias, agência de viagem, mercado municipal e o Palácio do Povo.
 
Começa na junção da Rua da Praia e da Avenida Marginal, onde se encontra, do lado direito, a Biblioteca Municipal e a Alliance Française e, do lado esquerdo o Centro Cultural do Mindelo (Alfândega Velha). Essa área faz fronteira com a Rua Santo António, no edifício do BCA e, a Avenida 5 de Julho, na Pensão Chave de Ouro.
 
Edifícios que fazem parte da rua:
 
Residencial Mindelo - antiga Casa Madeira e Union Bazar. Este edifício, como quase todos os da rua, sofreu grandes transformações, ao longo dos tempos. A Union Bazar, no rés-do-chão, era uma casa comercial que abastecia artigos diversos aos passageiros em trânsito, em São Vicente e, no primeiro andar, uma Casa de Chá. A Casa Madeira pertenceu à família Madeira, que estabeleceu nesse espaço, a sua primeira firma em São Vicente, em 1865, com uma área comercial, no rés-do-chão e, a residência da família, no primeiro andar. O edifício foi vendido pelo Sr. Manuel Gomes Madeira, em 1975, aquando da Independência, quando decidiu ir viver em Portugal. Comprado pelo Sr. Djibla (Daniel Mascarenhas), conhecido grande comerciante e fotógrafo mindelense, o edifício foi totalmente demolido, em 1996 e, no seu lugar foi construído um novo edifício, onde desde 2006 funciona a Residencial Mindelo, com nove quartos e duas suites;
 
Café Royal - o famoso Café Royal serviu de palco à nossa grande cantora Cesária Évora e à pianista Tututa Évora, que foram duas grandes artistas da nossa cidade, ambas falecidas. O primeiro edifício construído no terreno foi demolido, em 1922, por ter sido considerado perigo público. O novo projeto da Firma Levy & Irmãos, que foi aprovado, em 1925, comportando três pisos, foi sofrendo alterações até a sua construção. O edifício passou a pertencer à firma JBC, que o transformou em café e moradias para arrendamento e, assim surgiu em 1947, o famoso Café Royal, que a partir de 1976 passou a ser explorado pelo Sr. Tchunass até ao seu encerramento em 2003. Foi demolido e, no seu lugar foi reconstruído um novo edifício, que pertence a um empresário espanhol, o qual conservou somente a fachada, visto que o interior foi totalmente modificado, passando a ser hotel/residencial, com um bar/café que faça lembrar o antigo Café Royal;
Casa César Gil/Café Lisboa - construída em 1905 tendo como proprietário o Comerciante César Gil que morava no primeiro andar e, tinha o seu estabelecimento comércial, no rés-do-chão. Ainda hoje encontra-se na posse da família.
A cave e a parte traseira do edifício passaram a funcionar em 1991???? como restaurante/bar/pizzaria “Fund´Mar”, tendo sido remodelado o primeiro andar em 2010; como o nome sugere, a sua decoração é feita a imitar grutas do fundo do mar. Anteriormente, funcionava no primeiro andar o Restaurante/marisqueira Nella´s, que tinha como maior atracão o famoso violinista Malaquias (Malaka), já falecido.
 No rés-do-chão funciona, há vários anos, o “Café Lisboa” explorado pelo conhecido Alberto Gomes, Guineense de ascendência cabo-verdiana que foi jogador profissional, tendo-se destacado por representar o Sport Club Benfica de Lisboa e a seleção portuguesa de futebol. O seu percurso futebolístico e a história do Café podem ser vistos nas paredes do estabelecimento, com as fotografias de diferentes personalidades, artistas e políticos de diversas gerações que já passaram por lá. Ao lado funciona a “Boutique Giselle” de Gisela Mariano, uma Mindelense ex-modelo em Portugal. Essa Boutique é, também, uma referência para os turistas que lá vão comprar “souvenir”;
 
Mercado Municipal (1930-1933) – já descrito;
Ex-Casa Marçal - atual Farmácia Higiene, Hortocarnes e Dantas & Dantas. O edifício foi construído, em 1915, pelo comerciante Marçal e, até hoje, não houve mudança na sua arquitetura. O primeiro e segundo andares e parte do rés-do-chão pertencem à Firma Dantas & Dantas e a outra parte, encontra-se dividido, entre a Farmácia Higiene e a Hortocarnes;
• Palácio do Governo (1858-1874) - atual Palácio do Povo (já descrito);
Café Algarve/Fénix - em 1929 foi formulado um pedido de licença à Câmara Municipal, pelo dono Alfredo Silva Monteiro, para edificar esses edifícios, somente no rés-do-chão, para comércio, habitação e armazém.   Em 1949 com a compra dos edifícios pela firma Machado & Jesus, Lda., de Manuel Madeirense e Rui Machado, estes pediram licença para terminar o prédio, agora com dois pisos. O primeiro andar passou a ser moradias e, no rés-do-chão, Café e Pastelaria Algarve do Sr. Francisco Silva, em 1983, e Loja Fénix, que atualmente foi transformada numa loja chinesa;
Casa do Leão - construída na década de cinquenta do século XX, existia antes um outro edifício, onde funcionava uma padaria. Em 1963, o edifício sofreu uma grande transformação e, ganhou a composição com que se apresenta hoje. A Casa do Leão – Nunes Leão & Companhia Lda. abriu falência há alguns anos, estando o edifício fechado;
Casa Cohen – atual Katem. O edifício, que era propriedade dos Cohen, foi construído na década de trinta do século XX. Atualmente, existe um café no rés-do-chão e alguns escritórios privados e, no primeiro andar, outro bar no lugar da discoteca Katem. Esta entrou em funcionamento, na década de oitenta, tendo sido uma das primeiras discotecas da cidade;
 
Café Portugal - Construído em 1928, sofreu transformações em 1939, sendo o dono, o comerciante Alfredo Miranda. Um dos poucos edifícios de três pisos da rua, onde funcionou durante 60 anos, o Café Portugal, um negócio familiar pertencente ao empresário José Almeida, que acabou por encerrar, em 2012.
Edifício da Casa Benvindo – construído em 1914, por António Vitorino Rendall, foi sofrendo transformações ao longo dos anos, com inclusão de janelas, varanda e elementos da fachada. O edifício pertence aos herdeiros do médico cabo-verdiano, António Morais. Desde 1962, no rés-do-chão, funciona a “Casa Benvindo”, que se encontra ainda aberta, pertencente à mesma família, tendo há vários anos mudado do tradicional negócio de venda de tecidos para venda de artesanato local e do continente africano;
Edifício da Farmácia do Leão - o edifício original pertencia à família Rendall e, foi um dos primeiros a ser construído na rua. Era constituído, somente, pela parte de frente do edifício atual, onde funciona a Farmácia. Foi comprado, em 1986, aos herdeiros de Luiz Cândido Monteiro, pela firma Drogaria do Leão – Nunes Leão & Companhia Lda.,  que abriu no espaço, essa Farmácia, uma das primeiras de Mindelo. Em 1988-1989 foram feitas alterações ao edifício, com expansão de mais um edifício de três pisos, na parte traseira e foram feitas alterações na fachada. Este novo edifício comporta, moradias nos pisos superiores e, farmácia e escritórios, no rés-do-chão. Em 2010, foram feitas novas alterações e toda a parte residencial do edifício foi transformada em escritórios. O edifício original mantém os seus traços antigos, mas foram-lhe acrescentadas varandas e modificadas as portas e janelas;
Casa dos Rendall - edifício pertencente à família Rendall, era dividido em duas moradias, no primeiro andar e comércio no rés-do-chão, onde funcionou a Farmácia Vieira e, também, a loja “Bom Marché”, propriedade de um Pastor Inglês. Foi comprado pela firma Drogaria do Leão – Nunes Leão & Companhia Lda., nos anos oitenta do século XX. O edifício sofreu grandes transformações, para novos comércios que depois foram encerrados, passando a ser armazém e montra de produtos da Drogaria do Leão e, no espaço contíguo, uma loja chinesa.

QuartiersRua de Matijim (rua de passá sabe)
Quartiers
• Rua de Matijim, Mindelo, Cap-Vert
• Latitude: 16.884556 - Longitude: -24.989300
Media
  • Photo(s): 2
Rua de Matijim é uma continuação da Rua de Santo António, mas com construções menos antigas. Era e é, a rua frequentada pelo povo, pescadores, armadores, peixeiras e comerciantes de bordo que faziam a vida na Rua da Praia e, depois, iam descontrair na Rua de Matijim. Rua de Botequins e Bares onde o grogue nunca falta, conhecida pelos nomes de Rua de Matijim, este, que foi um dos famosos comerciantes da rua e Rua de Passá Sábe, porque era a rua de divertimento, após as longas horas de trabalho de muitos dos referidos profissionais.

QuartiersRua de Santo António
Quartiers
• Rua Santo Antonio, Mindelo, Cap-Vert
• Latitude: 16.886414 - Longitude: -24.988747
Media
  • Photo(s): 1
Uma das quatro primeiras ruas da cidade e parte do primeiro núcleo urbano, foi uma das primeiras a ser calcetada. A rua começa no edifício do BCA (Banco Comercial do Atlântico) e vai até ao da Delegação de Viação e Transporte Rodoviário, dois edifícios com bastante história, que sofreram várias transformações ao longo dos tempos. As casas dessa rua, construídas antes de 1870, são belos exemplos da arquitetura colonial dessa época, apesar de algumas terem sido remodeladas e outras demolidas e reconstruídas com novas atividades, como cafés, bares, entre outras.

Foi feita uma extensão da rua, depois do edifício da Delegação de Viação, que ficou conhecida por Rua de Matijim/Rua de “Passa Sabe.
Edifícios da rua:
•  Edifício do BCA (Banco Comercial do Atlântico), antigo Banco Nacional Ultramarino (BNU) e Banco de Cabo Verde (BCV) - o primeiro edifício construído no terreno, em 1870, pertencia ao Sr. João Martins. Foi, depois, adquirido pelo Sr. Isaac Wahnon que o transformou num Hotel e Casa de Bilhares. Depois de ser adquirido pelo Governo Provincial foi demolido e, no seu lugar foi construído, em 1915, a sede do BNU, que era o único Banco a funcionar em Cabo Verde até a Independência. No rés-do-chão funcionava a Agência do Banco e, no primeiro andar, morava o Gerente. Após a independência foi nacionalizado, passando a BCV que passou a controlar a banca de Cabo Verde até a criação do BCA, em 1993, após a privatização do ramo comercial do BCV. Hoje, no edifício funciona uma agência do BCA, no rés-do-chão e, no primeiro andar, a Direção Comercial para a Região de Barlavento;
•  Mediateca - edifício feito ao mesmo tempo que o anterior, pertencente, também, ao BCA, onde antes era sua agência e, agora, funciona a Mediateca, desde 2005;  
•  Espaço aberto pertencente à Firma Fonseca & Santos Lda. - foi, recentemente, calcetado pela Câmara Municipal, para estacionamento de viaturas. Existia, anteriormente, no espaço, a casa do Nhô Gomes, feita antes de 1870 e modernizada, em 1891. Antes de pertencer à Fonseca & Santos Lda. passou por vários proprietários;
•  Casa Café Mindelo - antiga casa do Nhô Chico de São Nicolau que já existia em 1870, com o primeiro andar. Depois de pertencer a outros donos e de ser construída mais um andar, foi adquirida pelo Sr. Pedro Cláudio Almeida que, por sua vez, o vendeu a Catarina Santos que o transformou em residencial, nos dois andares de cima e, um café, no rés-do-chão, muito frequentado por nacionais e turistas;
•  Mercearia e residência particular - construída no mesmo período que o edifício anterior, era conhecida como a Casa do Bongainville, devido à grande Buganvília existente no quintal. Encontra-se em funcionamento, há mais de 40 anos, com o mesmo dono;
•  Pensão Atlântida e Casa Comercial - edifício construído pelo Sr. José Coelho Serra, Comerciante, proveniente da ilha de Santiago, o qual possui uma loja, no rés-do-chão e, pensão, no primeiro andar.
•  Casa Albino dos Santos - casa mais moderna da rua por ter sofrido alterações profundas no seu exterior, ficando assim a contrastar com o estilo antigo da Rua. Teve como primeiro dono, o Sr. Pedro Polezi e, possui grande história, porque nesse edifício funcionou o primeiro Cinema de São Vicente, fundado por Francisco Mascarenhas, em 1919, que, depois, mudou para o edifício onde era o Cinema Éden Park.
•  Edifício da Delegação de Viação e Transporte Rodoviário - no terreno existiam, antigamente, umas barracas que serviram de quartel militar, em 1858. Em 1863, essas barracas passaram a servir de Cadeia Civil até esta ser transferida para os Paços do Concelho. Em 1880, foi construída no local uma casa que servia de depósito para as obras públicas e, em 1882, foi erigido esse edifício, onde passou a funcionar uma secção das Obras Publicas. Sofreu várias transformações, ao longo dos anos, tendo a Delegação de Viação dos  Transportes  Rodoviários passado a funcionar, nesse edifício.

Espaces NaturelsSalamansa
Espaces Naturels
• Mindelo, Cap-Vert
• Latitude: 16.904222 - Longitude: -24.945044
Media
  • Photo(s): 3
Salamansa é uma vila de pescadores no Norte da ilha de São Vicente, mais precisamente a Nordeste da cidade do Mindelo. A vila fica à beira-mar, numa bonita baía que fica no canal que separa São Vicente da ilha de Santo Antão, que pode ser vista mesmo em frente.
A baía possui uma extensa e bonita praia de areia branca, muito aprazível para os banhistas e praticantes de desportos náuticos, com especial relevo para o windsurf e kite-surf. Aproveitando essa potencialidade, há alguns anos foi criada uma escola de kite-surf, na localidade. Nesta zona, celebra-se, anualmente, a Festa de Santa Cruz, a 3 de Maio, atraindo muita gente da ilha. Dança-se o colá San Djon, ao som dos tambores, à semelhança das outras festas de romaria da ilha, que foram trazidas pelas populações migrantes das diferentes ilhas, particularmente de Santo Antão.
Nos últimos anos, a localidade ganhou uma nova dinâmica com a realização do festival de música de Salamansa, organizada por emigrantes oriundos dessa localidade, em que o cantor Grace Évora, é um dos principais mentores. 
 
 

PlagesSandy Beach - Boca de Lapa (Mérite le détour)
Plages
• Mindelo, Cap-Vert
• Latitude: 16.812059 - Longitude: -24.870049
Media
  • Photo(s): 2
A praia de Boca de Lapa situa-se no Sul da ilha e foi batizada pelos surfistas de “Sandy Beach”. É onde se realiza o “Open Sandy”, uma das maiores provas do circuito nacional de surf e bodyboard em Cabo Verde, que já conta com a participação de desportistas de outros países, embora a competição não tenha sido, ainda, incluída no circuito internacional. Não é de fácil acesso porque não tem uma estrada propriamente dita. O mar não é muito propício à prática de natação devido à forte rebentação que apresenta mesmo ao pé das rochas, mas boa para a prática de desportos de ondas. A praia possui um areal estreito e não é muito frequentada pelo público.

RestaurantsSodade Residencial e Restaurante
Restaurants
• 28 Sao Vicente, Rua Franz Fanon, Mindelo, Cape Verde
• Latitude: 16.886427 - Longitude: -24.984953
Goza de uma localização privilegiada, mesmo no centro de Mindelo, que permite fácil acesso para qualquer ponto dentro ou fora da cidade. Dispõe de um restaurante no terraço do edifício, com uma vista panorâmica sem igual, de toda a cidade. Oferece pratos diversos, típicos da cozinha tradicional cabo-verdiana, com música ao vivo, aos fins de semana.

RestaurantsTaverna São Vicente
Restaurants
• Mindelo, Cape Verde
• Latitude: 16.888540 - Longitude: -24.988607
A Taverna cucina italiana é um novo conceito de restaurante temático que oferece uma deliciosa refeição de cariz medieval.

Situado na Avenida 5 de Julho, oferece um ambiente único e tipicamente italiano e um vasto menu que seduz a qualquer apreciador de boa comida desse país europeu. A sua carta de vinhos é variada, maioritariamente, de origem italiana, E para completar, nada melhor do que preencher o ambiente com música tradicional ao vivo. 

MonumentsTribunal - Palácio de Justiça
Monuments
• Mindelo, Cap-Vert
• Latitude: 16.885353 - Longitude: -24.987663
Media
  • Photo(s): 1
Antes de 1901 havia em São Vicente, somente, o Julgado Municipal, pois a Comarca do Concelho estava anexada à do Concelho de Santo Antão. Depois de 1901 foi criada a Comarca de Barlavento (São Vicente, São Nicolau, Boa Vista e Sal) com sede em Mindelo, isto porque a ilha se tinha tornado numa das mais importantes do Arquipélago. O edifício já existia e só foram feitas remodelações e adaptações, para que lá pudesse funcionar o Tribunal, em 1903.

Por não se terem feito obras periódicas, o edifício chegou a um estado de avançado degradação. Já em 1968 o Governo Português tinha mandado construir um novo edifício “digno” ao estatuto da ilha, mas só se ficou pelos planos, porque tiveram problemas na sua implementação, por causa da localização proposta, da dimensão do(s) edifício(s) que se pretendiam construir e do custo da obra que incluía indemnizações por expropriações.

Durante anos, os Tribunais passaram a funcionar no Palácio do Povo e, mandou-se construir um novo edifício que tem as mesmas disposições do edifício proposto em 1968, seguindo as recomendações do então Procurador-Geral. Esse novo edifício, que foi erigido no mesmo lugar do antigo, foi inaugurado em 2008, e alberga todos os serviços da Conservatória de Registos.

Monuments“Pósse” (pássaro) (Mérite le détour)
Monuments
Antiga Praça dos Aviadores
• Ave Marginal, Mindelo, Cap-Vert
• Latitude: 16.886786 - Longitude: -24.989216
Media
  • Photo(s): 4
Em 1926 foi construída uma esplanada, onde está hoje o Monumento “Pósse”, que se chamava Terraço da Alfândega por estar perto desta. A esplanada foi feita com a intenção de embelezar a rua que se encontrava descaracterizada pelos pontões e depósitos de carvão.

O monumento foi erigido anos depois, como homenagem da ilha a Gago Coutinho e Sacadura Cabral, que a 05 de Abril de 1922 fizeram escala em Mindelo, durante a travessia do Atlântico Sul. A esplanada foi transformada numa Praça com árvores, bancos e um quiosque e passou a chamar-se Praça dos Aviadores.

Hoje, o monumento encontra-se numa rotunda, tendo desaparecida a praça. Em 1998 na comemoração do 76º aniversário da Travessia foi acrescentada uma placa comemorativa do evento. O monumento, tem uma águia de asas abertas no seu topo, popularmente conhecido por “Pósse”, que em crioulo da ilha significa pássaro.